Lavagem das mãos

Recentemente assisti uma palestra gravada em setembro de 2014 no site TED TALKS e me impressionei com alguns números…. Se quiser assistir a palestra, clique aqui!

Vocês sabiam que em média, 15.000 crianças de 0 a 5 anos morrem por dia no mundo? E sabe quais as principais causas? DIARRÉIA E PNEUMONIA. E a solução, segundo a palestrante Miriam Sibide: UMA BARRA DE SABÃO!

“Lavar as mãos com sabão, um hábito tão comum, pode reduzir a diarréia à metade, pode reduzir as infecções respiratórias em um terço. Lavar as mãos com sabão pode ter um impacto na redução da gripe, do tracoma, da pneumonia atípica, e mais recentemente, no caso da cólera e no surto do ebola, uma das intervenções principais é a lavagem de mãos com sabão”. (Miriam Sibide).

Penso que concordam  que essa é uma intervenção de saúde pública muito útil??

Mas e por quê estou abordando esse assunto num site de alimentação?

Bom, numa parte do vídeo, achei interessante um dado que a Miriam passou e que todos os dias me faz lembrar disso, rs.

“As estatísticas mostram que 4 em cada 5 pessoas não lavam as mãos ao saírem do banheiro, em todo o mundo. E do mesmo modo, não o fazemos mesmo tendo banheiros sofisticados, com água corrente e sabão à disposição. O mesmo ocorre em países em que a mortalidade infantil é elevada”. (Miriam Sibide).

Assustador hein? 4 em cada 5 pessoas? Agora pense nessa estatística e nos funcionários que preparam as refeições de um restaurante? Ou até naquela figura querida que vai para a cozinha todos os dias na nossa casa fazer uma comidinha gostosa? Será que lavam as mãos COM SABÃO?

Hábitos que aprendemos desde cedo são muito difíceis de serem mudados. É primordial ensinar as crianças a importância da lavagem de mãos e quais os momentos cruciais de fazê-lo. Além das crianças, os adultos também precisam ser mais disciplinados e lavar as mãos com sabão com mais freqüência.

Nos restaurantes, o nutricionista tem papel fundamental no treinamento de funcionários, especialmente referente a higiene pessoal, do seu local de trabalho e a manipulação higiênica dos alimentos.

E você, lava as mãos corretamente?

Para lavagem correta das mãos siga os seguintes passos:

  1. Utilize a água corrente para molhar as mãos;
  2. Esfregue a palma e o dorso das mãos com sabonete, inclusive as unhas e os espaços entre os dedos, por aproximadamente 15 segundos.
  3. Enxágüe bem com água corrente retirando todo o sabonete
  4. Seque-as com papel toalha ou outro sistema de secagem eficiente
  5. Esfregue as mãos com um pouco de produto anti-séptico (álcool 70%).

Partiu lavar as mãos corretamente a partir de agora?

Autora: Karen Dykstra Carmona

OBSERVAÇÃO: Damos cursos de Boas Práticas na Manipulação de Alimentos para restaurantes e interessados. Entre em contato conosco! [email protected] e [email protected]

Rotavírus e alimentação

Quem nunca teve uma gastroenterite ou piriri ou infecção com rotavirus, enquanto esteve viajando?? E na praia, quem nunca?

O que de fato acontece para que nossas férias deixem de ser tão prazerosas??

Existem 7 sorotipos diferentes de Rotavirus, porém somente 3 infectam o homem e causam gastroenterite aguda. A transmissão geralmente ocorre via FECAL-ORAL (isso mesmo, comemos/tomamos “coco”), pelo contato direto entre as pessoas contaminadas, por utensílios, brinquedos e ÁGUA contaminados.

Infelizmente muitas cidades litorâneas não conseguem tratar todo o volume de esgoto produzido na época de temporada. Esgoto não tratado e muita gente usando o mar como banheiro público… argh!!! Imaginou na quantidade de microrganismos que você ingere num golinho de água??

Aí alguém da família pegou o tal Rotavirus e o efeito dominó começa. Primeiro filho 1, depois filho 2 enquanto você também começa com os sintomas… daí o resto da família sucumbe… penso que deve essa é uma infecção solidária…

Os sintomas mais importantes:

Imagem do site bemnutri.com.br
  • Diarréia aguda, aquosa e muitas vezes, explosiva.
  • Vômitos.
  • Febre e mal-estar.
  • Coriza e tosse (as vezes).
  • Desidratação nos casos graves (pode ser fatal).

Recomendações

* Lave as mãos cuidadosamente e com freqüência, especialmente depois de usar o banheiro e de trocar as fraldas das crianças, antes das refeições e quando for preparar os alimentos;

* Desinfete todas as frutas e verduras que serão consumidos crus. Saiba como fazer isso no nosso post: Desinfecção de frutas e verduras.

* Use água tratada para beber e também no preparo dos alimentos;

* Mantenha sempre bem limpos os utensílios de mesa e os que são usados na cozinha;

* Lembre-se de que o soro caseiro e os produtos equivalentes contêm sais minerais importantes para reidratar o paciente não encontrados na água pura;

Imagem do site: saude.culturamix.com

* Procure o médico tão logo a criança apresente episódios de diarréia aguda.

 

QUE ALIMENTOS OFERECER OU NÃO DURANTE UM QUADRO DE DIARRÉIA?

SIM:

  • Ofereça sempre pequenas porções de comida e bebida.
  • Soro caseiro, bebida isotônica, água de coco para repor eletrólitos.
  • Maça sem casca e suco de maça ajudam a conter a diarréia, pois contem pectina, um prebiotico que ajuda na reconstrução da flora intestinal.
  • Arroz branco, torradas e alimentos pouco gordurosos são os mais indicados.
  • Lascas de gelo podem ser alternativas interessantes para crianças com dificuldades de ingerir liquido.
  • Leite materno para lactentes.

NÃO OFEREÇA

  • Frutas cítricas, muito ácidas.
  • Leite e laticínios (queijo, iogurte, requeijão, creme de leite) – eles podem intensificar os problemas e estimular a produção de muco.
  • Especiarias (ex: pimenta) que possam irritar o revestimento gástrico.
  • Alimentos com muitas fibras como cereais integrais, vegetais e frutas com casca,
  • Alimentos fritos ou com adição de gorduras,
  • Alimentos que provocam gases e desconforto abdominal como feijão, etc.
  • Chocolate e outros doces que também tenham gorduras
  • Algumas bebidas também devem ser evitadas como bebidas alcoólicas, café e bebidas com cafeína porque são diuréticas e podem levar à desidratação.

 

TRATAMENTO

Não existem medicamentos específicos para combater a infecção por Rotavírus.

Os quadros leves são autolimitados: a infecção dura alguns dias e regride. Os mais graves estão associados à desidratação e podem ter complicações fatais.

Sempre mantenha-se hidratado em casos de infecções alimentares e procure um médico, sempre que possível.

Neste verão, cuide bem da alimentação, da higiene ao preparar os alimentos e da água que bebe/cozinha!!

E principalmente, descanse e curta muito!!!

Imagem do site: t-udosobrenada.blogspot.com

Autora: Karen Dykstra Carmona

Referências:

KARMEL, A. O Livro essencial da alimentação infantil – receitas deliciosas e respostas para as dúvidas mais comuns. Sao Paulo: Publifolha, 2010.

Site do Ministério da Saúde. Disponível em: <http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/758-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/rotavirus/11436-perguntas-e-respostas>. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

Infecção por Rotavírus. Disponível em: http://drauziovarella.com.br/crianca-2/infeccao-por-rotavirus/. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

 

 

PREBIÓTICOS – Saiba mais!!

No post “O que que a Banana verde tem?” abordamos rapidamente o tema dos prebióticos. Achei muito interessante estudar sobre o assunto num curso de atualização que fiz recentemente, sobre “Probióticos, Prebióticos e Simbióticos”.

Mas o que são os Prebióticos?

Prebióticos são componentes que não são digeríveis e que estimulam seletivamente a proliferação ou atividade de populações de bactérias que são desejáveis no intestino.

Os prebióticos são na verdade, carboidratos ou fibras solúveis em água, encontrados em certos alimentos como os cítricos e maçã entre outros.

Os prebióticos trazem beneficio para quem os consome pois:

  • favorece melhor funcionamento intestinal, especialmente em casos de diarréia e constipação;
  • melhora a barreira protetora intestinal contra doenças provocadas por bactérias patogênicas;
  • reduzem os triglicérides;
  • diminui o colesterol sanguíneo;
  • melhora a absorção de minerais;
  • melhora o flora intestinal;
  • Favorece a produção de vitamina B.
  • estimula o sistema imunológico.

Exemplos de Prebióticos:

Oligofrutose, inulina, pectina, ligninas, oligossacarídeos não-digeríveis derivados da lactose.

Alguém entendeu alguma coisa? Rs Vamos simplificar…

Frutoligosacarídeos estão presentes em alimentos como: alho, cebola, tomate, banana, cereais integrais como a cevada, aveia e trigo.

Atualizados recentemente6

A pectina – presente na entrecasca dos cítricos, maracujá e maçã.

Atualizados recentemente7

Ligninas – presentes nas cascas de frutas oleaginosas – linhaça, gergelim, amêndoas e leguminosas como soja e feijão azuki.

Atualizados recentemente9

A inulina é encontrada na raiz da chicória, no alho, cebola, aspargos e alcachofra.

Atualizados recentemente10

Inclua os prebióticos diariamente na sua alimentação e sinta os seus benefícios!!

Autora: nutricionista Karen Dykstra Carmona