Festa de criança!

kids-birthday-party-games

Começa o ano escolar e também as festinhas de aniversário!! Fui a 2 mega eventos, em buffets infantis e me senti profundamente triste… A criançada não, estava lá, agitando horrores! Pobres monitores! rs Mas vou explicar a minha tristeza…

Procuro sempre oferecer uma dieta mais equilibrada para meus filhos e já aceitei que em festa de criança, a gente de “libera” “algumas” “porcarias”… Numa das festinhas, colocaram ao alcance das crianças M&Ms, marshmallows, balas de goma, nuggets, pasteizinhos, batata frita e refrigerantes. Nenhuma frutinha ou alguma proposta de alimento mais saudável. Ou seja, vai comer caloria vazia! Claro que no dia seguinte tinha criança com dor de barriga…

mesa de doces

Lembro dos aniversários de antigamente, onde a família que preparava os quitutes… Se tinha fritura? Inevitavelmente tinha, mas era tudo fresquinho e sem aditivos… Tinha empadão, torta salgada de legumes, bolinho de carne temperadinho com sal e cheiro verde, torradinha com patê de atum, sanduíches naturais, pepino em conserva com queijinho no palito, salada de fruta e também a famosa gelatina no copinho. Ah, refrigerante não tinha tão acessível como hoje, felizmente! Não tinha esses nuggets, cheios de aditivos e fingindo ser carne e somente opções salgadas fritas… Claro que os tempos mudaram… a dinâmica familiar não permite mais que façamos absolutamente tudo da festa para controlar a qualidade do que se põe na mesa.

Existem hoje alguns profissionais inovando nesta área de buffet infantil, e tenho gostado muito da idéia… E aí aproveito também para deixar a minha dica:

inspiraçao
Imagem do Site: dicasdamaedipa.blogspot.com

– Procure versões integrais de salgados.

– Ofereça opções mais naturais (faça o nugget com frango de verdade e com ervas naturais), suco de fruta natural ou de uva integral.

milho

– Prefira salgados assados pois contêm menos calorias e são mais saudáveis (esfihas, pastel assado, folhados e pão de queijo).

– Por que não oferecer sanduíches naturais? São deliciosos, nutrem e sustentam bem mais do que os doces!

sanduiches
Imagem do site copegourmet.blogspot.com

– Frutas (espetinhos de fruta ou até mesmo formatos diferentes e divertidos da fruta tem mais apelo visual).

melancia

bananas
Imagem do site: www.macetesdemae.com

– Iogurtes ao invés de refrigerantes.

– E água, muita água para matar a sede!!

Sei que há receio de que haja pouca aceitação das crianças, porém entupí-las de açúcar, gordura, corantes, aditivos é um problema a ser encarado no futuro… É sabido que crianças tem um comportamento espelho e quando convivem com mais crianças numa festa, tendem a aceitar mais o alimento oferecido. Encorajá-las só trará benefícios.

Vamos aproveitar o momento de festa para oferecer coisas gostosas e saudáveis… e se você acredita que para ser gostoso não dá pra ser saudável, talvez a mudança tem de começar pela sua cabeça!

Nutricionista Karen Dykstra Carmona

 

Rotavírus e alimentação

Quem nunca teve uma gastroenterite ou piriri ou infecção com rotavirus, enquanto esteve viajando?? E na praia, quem nunca?

O que de fato acontece para que nossas férias deixem de ser tão prazerosas??

Existem 7 sorotipos diferentes de Rotavirus, porém somente 3 infectam o homem e causam gastroenterite aguda. A transmissão geralmente ocorre via FECAL-ORAL (isso mesmo, comemos/tomamos “coco”), pelo contato direto entre as pessoas contaminadas, por utensílios, brinquedos e ÁGUA contaminados.

Infelizmente muitas cidades litorâneas não conseguem tratar todo o volume de esgoto produzido na época de temporada. Esgoto não tratado e muita gente usando o mar como banheiro público… argh!!! Imaginou na quantidade de microrganismos que você ingere num golinho de água??

Aí alguém da família pegou o tal Rotavirus e o efeito dominó começa. Primeiro filho 1, depois filho 2 enquanto você também começa com os sintomas… daí o resto da família sucumbe… penso que deve essa é uma infecção solidária…

Os sintomas mais importantes:

Imagem do site bemnutri.com.br
  • Diarréia aguda, aquosa e muitas vezes, explosiva.
  • Vômitos.
  • Febre e mal-estar.
  • Coriza e tosse (as vezes).
  • Desidratação nos casos graves (pode ser fatal).

Recomendações

* Lave as mãos cuidadosamente e com freqüência, especialmente depois de usar o banheiro e de trocar as fraldas das crianças, antes das refeições e quando for preparar os alimentos;

* Desinfete todas as frutas e verduras que serão consumidos crus. Saiba como fazer isso no nosso post: Desinfecção de frutas e verduras.

* Use água tratada para beber e também no preparo dos alimentos;

* Mantenha sempre bem limpos os utensílios de mesa e os que são usados na cozinha;

* Lembre-se de que o soro caseiro e os produtos equivalentes contêm sais minerais importantes para reidratar o paciente não encontrados na água pura;

Imagem do site: saude.culturamix.com

* Procure o médico tão logo a criança apresente episódios de diarréia aguda.

 

QUE ALIMENTOS OFERECER OU NÃO DURANTE UM QUADRO DE DIARRÉIA?

SIM:

  • Ofereça sempre pequenas porções de comida e bebida.
  • Soro caseiro, bebida isotônica, água de coco para repor eletrólitos.
  • Maça sem casca e suco de maça ajudam a conter a diarréia, pois contem pectina, um prebiotico que ajuda na reconstrução da flora intestinal.
  • Arroz branco, torradas e alimentos pouco gordurosos são os mais indicados.
  • Lascas de gelo podem ser alternativas interessantes para crianças com dificuldades de ingerir liquido.
  • Leite materno para lactentes.

NÃO OFEREÇA

  • Frutas cítricas, muito ácidas.
  • Leite e laticínios (queijo, iogurte, requeijão, creme de leite) – eles podem intensificar os problemas e estimular a produção de muco.
  • Especiarias (ex: pimenta) que possam irritar o revestimento gástrico.
  • Alimentos com muitas fibras como cereais integrais, vegetais e frutas com casca,
  • Alimentos fritos ou com adição de gorduras,
  • Alimentos que provocam gases e desconforto abdominal como feijão, etc.
  • Chocolate e outros doces que também tenham gorduras
  • Algumas bebidas também devem ser evitadas como bebidas alcoólicas, café e bebidas com cafeína porque são diuréticas e podem levar à desidratação.

 

TRATAMENTO

Não existem medicamentos específicos para combater a infecção por Rotavírus.

Os quadros leves são autolimitados: a infecção dura alguns dias e regride. Os mais graves estão associados à desidratação e podem ter complicações fatais.

Sempre mantenha-se hidratado em casos de infecções alimentares e procure um médico, sempre que possível.

Neste verão, cuide bem da alimentação, da higiene ao preparar os alimentos e da água que bebe/cozinha!!

E principalmente, descanse e curta muito!!!

Imagem do site: t-udosobrenada.blogspot.com

Autora: Karen Dykstra Carmona

Referências:

KARMEL, A. O Livro essencial da alimentação infantil – receitas deliciosas e respostas para as dúvidas mais comuns. Sao Paulo: Publifolha, 2010.

Site do Ministério da Saúde. Disponível em: <http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/758-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/rotavirus/11436-perguntas-e-respostas>. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

Infecção por Rotavírus. Disponível em: http://drauziovarella.com.br/crianca-2/infeccao-por-rotavirus/. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

 

 

Papinha de carne, cenoura e mandioca

papas

Ingredientes:

1 pedaço pequeno de mandioca – 110g

1 cenoura pequena – 100g

1 colher de sopa de cebola ralada – 12g

2 colheres de chá de óleo vegetal

100g de carne moída

5 colheres de sopa de macarrão “conchinha” – 30g

1 pitada pequena de sal (0,5g)

Salsinha a gosto

Atualizados recentemente2

Modo de preparo:

1. Pique a mandioca e a cenoura em cubos. Rale uma cebola e meça 1colher das de sopa.

2. Refogue a cebola até que ela murche. Acrescentar a carne e refogar.

3. Juntar a mandioca, a cenoura e 1 xícara de chá de água. Mexa de vez em quando, até os legumes ficarem macios. Adicionar o macarrão e o sal. Deixar cozinhar até o macarrão ficar macio e com um pouco de caldo.  Adicione a salsinha. Retire do fogo. Amasse com um garfo metade da preparação, e sirva a criança.

papinha

Dicas para a introdução de alimentos!!

Imagem do site: www.ndig.com.br

Tenho observado bastante insegurança das mães quando o assunto é a introdução de alimentos. Muitos materiais disponíveis com posicionamentos diferentes relacionadas ao assunto. Decidi colocar no blog uma sugestão de introdução alimentar, baseada nos meus conhecimentos de nutrição e também de mãe.

Bem, como começar?

Imagem do site: vounasceroutravez.blogspot.com

Comece com um sorriso!!! Deixe de lado sua ansiedade, pois você está prestes a ensinar o bebê a comer e experimentar alimentos sólidos, um dos grandes prazeres da vida. Transforme toda refeição em uma experiência prazerosa para vocês dois.

A oferta de alimentos deve ser de forma lenta e gradual. Essa fase não significa que o desmame deva ocorrer. Inicialmente, ofereça suco (em torno de 60ml)  de fruta sem adicionar açúcar, 1 vez por dia durante 1 semana.  As frutas permitidas devem ser pouco ácidas: laranja lima, melão, pêra, mamão papaya. Logo que a criança passe a aceitar o suco, faça também as combinações de laranja lima com mamão papaya, laranja lima com cenoura…

Na segunda semana, comece a oferecer o suco pela manhã e fruta amassada a tarde.  A quantidade inicial de fruta amassada fica em 1-2 colheres de sopa. É importante somente amassar a fruta, para que o bebê vá se acostumando com novas texturas e treinando para os alimentos mais sólidos.  Frutas para serem oferecidas: pêra e maçã raspadas, banana prata, mamão papaya, melão e etc. Evite frutas muito acidas e duras. Na terceira semana, a combinação de frutas amassadas pode ser feita. Lembre-se sempre de variar… não ofereça sempre a mesma fruta.

Imagem do site www.iplay.com.br

Não dê importância para o quanto a criança come na primeira ou segunda semana, pois ela continua a retirar os nutrientes de que precisa do leite. É importante criar uma rotina e o melhor momento para oferecer o suco ou fruta é no intervalo de uma mamada e outra, assim o bebê não estará inapetente ou com muita fome a ponto de recusar a abrir a boca.

Se o bebê já se adaptou as frutas, está na hora de inserir a papa salgada. Na quarta semana faça a  introdução da papa na hora do almoço, para que não hajam problemas com gases durante a noite.

Imagem do site: horizontepleno2.blogspot.com

Inicie a oferta da papa salgada com um alimento por vez. Exemplo: Purê de cenoura por 2 dias. Verifique se há reação (diarréia, urticária, ou algum sinal de alergia). Caso esteja tudo ok, ofereça cenoura+batata. Observe. Depois, cenoura + batata + frango. Com o tempo, tente variar as cores e tipos de alimentos (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas e legumes), e também as proteínas animais (ovo – veja sobre o ovo no nosso blog, frango, carne e peixe).  É importante que se inclua a carne desde o início para garantir o ferro de boa biodisponibilidade.

Aos 6 meses

1a. Semana – Leite materno, suco de fruta pela manhã, continuar amamentando normalmente nos demais horários.

2a. Semana – Leite, suco de fruta pela manhã, leite materno,  papa de fruta a tarde,  continuar amamentando nos demais horários.

3a. Semana – Leite, suco de fruta pela manhã, leite materno, papa de fruta (misturar frutas), leite materno nos demais horários.

4a. Semana – leite materno, suco de fruta pela manhã, papa salgada para almoço, papa de fruta, leite nos demais horários.

Oferecer o peito logo após os alimentos em papa não deve ser uma regra, mas uma alternativa quando a criança aceita pouco o alimento oferecido.


Com 7 meses, a alimentação da criança já pode ter 2 papas salgadas (almoço e jantar) e duas papas de frutas.

A partir dos 8 meses, podem ser oferecidos os mesmos alimentos preparados para a família, desde que amassados, desfiados, picados ou cortados em pedaços pequenos.

Sopas e comidas ralas/moles não fornecem energia suficiente para a criança.

Não bata os alimentos no liquidificador, pois a mastigação da criança deve ser estimulada e com a ingestão de alimentos “líquidos” isso não acontece.

 

Para garantir a alimentação saudável do seu bebê:

Imagem do site: ricardopolegar.blogspot.com
  •  Utilize o mínimo de sal (se pra você estiver “bom de sal” provavelmente já está muito salgado para o bebê).
  • Não adicione açúcar nos sucos e frutas. Suco industrializado não deve ser oferecido.
  • Também não utilize enlatados,  frituras, refrigerantes, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida!

Autora: Karen Dykstra  Carmona

 

Referências:

– VITOLO, M. R. Nutrição – Da gestação à Adolescência. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2003.

– KARMEL, A. O Livro Essencial da Alimentação Infantil. São Paulo: Publifolha, 2010.

– WARDLEY, B.; MORE, J. O grande livro de receitas: Comidas para bebês e Crianças: 365 pratos deliciosos para todas as ocasiões. São Paulo: Publifolha, 2009.