TAIOBA – Você conhece?

Recentemente recebi uma sugestão de matéria para publicar no blog! A sugestão veio acompanhada de uma história um pouco perigosa, porém engraçada após o susto. Confesso que nunca ouvi falar da taioba, mesmo durante a faculdade de nutrição! E eis que a história da Adriana me chamou a atenção para essa planta comestível que somente poucas pessoas ainda conhecem e consomem (vou contar a história dela um pouco mais além).

Bem, deixe-me apresentar a taioba: é uma planta tuberosa e que tem seu cormo consumido em vários países das Américas, oeste da África e China. No Brasil, a parte aérea da planta (folhas) é a mais apreciada.

taioba

O estudo realizado por LIMA (2009) detectou que os cormos de taioba tem grande potencial nutricional, apresentando excelente concentração protéica quando comparadas com outros tipos de culturas de tuberosas, como a mandioca, batata, batata doce, cará, inhame, embora o teor de carboidratos em alguns casos fosse mais baixo.

Os cormos são utilizados como fonte de carboidratos, sendo apresentados em forma de purês cozidos ou mesmo assados, a fim de anular a irritabilidade conferida pelos cristais de oxalato de cálcio. O cormo da taioba pode muitas vezes ser confundido com o inhame. As folhas, são geralmente consumidas refogadas ou cozidas.

 Esses são os cormos!

Esses são os cormos!

… continuando a história da Adriana….

A Adriana foi fazer uma visitinha a uma amiga e antes de ir embora, a amiga ofereceu algumas folhas de taioba do seu quintal para que a Adriana experimentasse. “A folha de taioba você faz como se fosse couve, refoga antes de comer” , avisou a amiga! Chegando em casa, a Adriana resolve experimentar a taioba crua… ahammm… foi parar no hospital, com um quadro de intoxicação (tratado como reação anafilática)… garganta ocluindo, visão turva… Certamente um susto!

Contei a história para alertar que não é qualquer taioba que pode ser consumida. E que não se consome crua! Jamé! Existem diversas espécies e nem todas são comestíveis. Assista esse vídeo que encontrei no youtube que deixa mais fácil discernir qual taioba é comestível.

O que aconteceu com a Adriana foi que ao ingerir a folha crua, os cristais de oxalato de cálcio presentes na folha se encontravam intactos. O simples cozimento já diminui a irritabilidade desses cristais. Essa substância não é venenosa em si, porém pode ser fatal porque os cristais podem perfurar os tecidos da região do pescoço, causar edema e assim impedir a passagem do ar, matando por asfixia.

Se preparada de forma correta, a folha da taioba possui grande riqueza de nutrientes, sendo considerada fonte de vitaminas A e C (pode ser comparada com a laranja), e principalmente, ferro, potássio, cálcio e manganês.

E olha que interessante: pessoas em “dieta” tem muito a ganhar com o consumo da taioba, pois supre boa parte das necessidades diárias de vitaminas e minerais e tem calorias reduzidas. \o/

Algumas receitas podem ser encontradas na internet… o que me deu água na boca foi o charuto de taioba…

taioba charuto

Atualmente, com o consumo reduzido (quase inexistente) de taioba, está mais difícil encontrá-la no mercado e feiras… ainda assim, fica o incentivo para incluir esse vegetal na sua alimentação!!!

Autora:  nutricionista Karen Dykstra Carmona

Referências:

LIMA, T.A. Caracterização de compostos nutricionais e antinutricionais em taiobas (Xanthosoma Schott). Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/7270/1/2009_ThainadeAlmeidaLima.pdf. Acesso em: 22 de junho de 2015.

 

Menu Kids

Durante a semana, tenho o hábito de preparar o almoço para minhas crianças e para mim, e então chega o final de semana, e com ele, um merecido “descanso” da cozinha…

Damos a preferência por restaurantes com espaço kids, pois aí temos, o marido e eu, a oportunidade de comer com mais tranquilidade. E aí o restaurante tem espaço kids \o/ , mas o Menu kids é aquele clássico: hamburguer com batata frita, ou massa com parmegiana, nuggets com arroz…

Imagem do site guiafolha
Imagem do site guiafolha

Vou para comer em paz, mas fico com a consciência pesada, já que as opções kids são pouco nutritivas. A única chance de oferecer um prato mais equilibrado é frequentar os restaurantes tipo buffet, mas lá se vai a oportunidade da mamãe comer algo diferente, a la carte, num ambiente mais acolhedor.

Fomos neste fim de semana a um restaurante fast food que tem menu kids, aquele de verdade (dificil de achar por aí), com arroz, feijão, carne, vegetais ou salada, batata frita ou purê de batata…

GiraPrato-principal

Legal, tem apelo visual e dividimos um prato para meus dois filhos e ainda sobrou!! “Ah, mas tem batata frita”. Tem, e não proíbo meus filhos de comerem batata frita, mas que não seja só isso no almoço. Que acompanhe alimentos com valor nutritivo, que tenha fibras e vitaminas… Não só fritura e carboidrato. Se em toda ocasião tivermos de abrir uma excessão (hoje é dia de festa, é sábado, é domingo, dia de visita)… não há educação alimentar saudável que resista.

Agora vou sonhar um pouco, rs,  com mais restaurantes também preocupados com a qualidade do que servem aos pequenos, uma vez que o valor cobrado para um prato kids é praticamente equivalente ao valor do prato adulto. Não sei exatamente qual é o calculo feito do per capita, para até que idade é esse prato kids. Fato é que sempre é uma porção muito grande para uma criança de 6 anos… A porção poderia ser menor e com um precinho mais bacana (agora devo estar mesmo delirando! rs).

Mas para valer o que pagamos, que tal se incluíssem uma porção de panachê de legumes?? As cores tornam o prato mais atraente e mais saudável!

Imagem do site : paneloterapia
Imagem do site : paneloterapia

Existem hoje muitos legumes congelados  que podem ser preparados na hora, em pequenas porções. Ou, em poucos minutos, pode-se preparar legumes frescos ao vapor.

As cenourinhas baby cruas ou cozidas para comer com a mão são uma boa opção

baby-carrots

 Ou abobrinhas grelhadas em palito…

20-Delicious-Zucchini-Recipes-The-Happy-Housewife

O mix de ervilhas com milho verde – mas as versões congeladas, que não tem conservantes e sódio adicionado:

mix

 

Brocolis no vapor:

kid-broccoli

e mais fácil ainda, tomatinhos cereja…

Imagem do site eugourmet.wordpress.com
Imagem do site eugourmet.wordpress.com

Claro que não é necessária uma super mega produção no prato. O fato de ser colorido já é atrativo e aumenta a aceitação. Fica a dica para os restaurantes: invistam na consciência das mamães e na saúde dos pimpolhos! rs

Autora: nutricionista Karen Dykstra Carmona

Festa de criança!

kids-birthday-party-games

Começa o ano escolar e também as festinhas de aniversário!! Fui a 2 mega eventos, em buffets infantis e me senti profundamente triste… A criançada não, estava lá, agitando horrores! Pobres monitores! rs Mas vou explicar a minha tristeza…

Procuro sempre oferecer uma dieta mais equilibrada para meus filhos e já aceitei que em festa de criança, a gente de “libera” “algumas” “porcarias”… Numa das festinhas, colocaram ao alcance das crianças M&Ms, marshmallows, balas de goma, nuggets, pasteizinhos, batata frita e refrigerantes. Nenhuma frutinha ou alguma proposta de alimento mais saudável. Ou seja, vai comer caloria vazia! Claro que no dia seguinte tinha criança com dor de barriga…

mesa de doces

Lembro dos aniversários de antigamente, onde a família que preparava os quitutes… Se tinha fritura? Inevitavelmente tinha, mas era tudo fresquinho e sem aditivos… Tinha empadão, torta salgada de legumes, bolinho de carne temperadinho com sal e cheiro verde, torradinha com patê de atum, sanduíches naturais, pepino em conserva com queijinho no palito, salada de fruta e também a famosa gelatina no copinho. Ah, refrigerante não tinha tão acessível como hoje, felizmente! Não tinha esses nuggets, cheios de aditivos e fingindo ser carne e somente opções salgadas fritas… Claro que os tempos mudaram… a dinâmica familiar não permite mais que façamos absolutamente tudo da festa para controlar a qualidade do que se põe na mesa.

Existem hoje alguns profissionais inovando nesta área de buffet infantil, e tenho gostado muito da idéia… E aí aproveito também para deixar a minha dica:

inspiraçao
Imagem do Site: dicasdamaedipa.blogspot.com

– Procure versões integrais de salgados.

– Ofereça opções mais naturais (faça o nugget com frango de verdade e com ervas naturais), suco de fruta natural ou de uva integral.

milho

– Prefira salgados assados pois contêm menos calorias e são mais saudáveis (esfihas, pastel assado, folhados e pão de queijo).

– Por que não oferecer sanduíches naturais? São deliciosos, nutrem e sustentam bem mais do que os doces!

sanduiches
Imagem do site copegourmet.blogspot.com

– Frutas (espetinhos de fruta ou até mesmo formatos diferentes e divertidos da fruta tem mais apelo visual).

melancia

bananas
Imagem do site: www.macetesdemae.com

– Iogurtes ao invés de refrigerantes.

– E água, muita água para matar a sede!!

Sei que há receio de que haja pouca aceitação das crianças, porém entupí-las de açúcar, gordura, corantes, aditivos é um problema a ser encarado no futuro… É sabido que crianças tem um comportamento espelho e quando convivem com mais crianças numa festa, tendem a aceitar mais o alimento oferecido. Encorajá-las só trará benefícios.

Vamos aproveitar o momento de festa para oferecer coisas gostosas e saudáveis… e se você acredita que para ser gostoso não dá pra ser saudável, talvez a mudança tem de começar pela sua cabeça!

Nutricionista Karen Dykstra Carmona

 

PEIXE NA INTRODUÇÃO DOS ALIMENTOS

Muitas pessoas tem receio em oferecer peixe para bebês. Saiba que  a introdução de certos alimentos potencialmente alergênicos, como ovo e peixe, pode ser realizada a partir do sexto mês de vida mesmo em crianças com história familiar de alergia (neste caso, ofereça o peixe e observe se há alguma reação de alergia). A introdução desses alimentos a partir dos 6 meses tem menor risco de desfechos alérgicos. Alguns estudos apontam que a introdução após 1 ano parece aumentar ainda mais os riscos de alergia!!!

O peixe é importante por ser uma excelente fonte de proteína, e os peixes oleosos (como salmão, atum, sardinha e cavalinha) são ricos em ácidos graxos essenciais (DHA), indispensáveis para o crescimento e desenvolvimento, principalmente da visão e do cérebro.

Mesmo após a infância, o consumo de DHA continua sendo  muito importante pois, há evidências dos benefícios  em diversas condições como doenças cardíacas, depressão, artrites e déficit de atenção.

Recomenda-se oferecer peixes gordurosos para crianças até 2 vezes na semana. Peixes mais brancos como linguado, pescada branca e tilápia também são fonte de DHA, embora apresentem menor quantidade desse nutriente.

Inicialmente, as crianças aceitam melhor os peixes brancos. Assim que seu filho se acostumar ao sabor e à textura, ofereça os peixes mais oleosos, com sabor mais acentuado, pois são mais ricos em DHA.

O peixe pode ser cozido, desfeito em lascas, empanado, moído em bolinhos e servido feito iscas. Torta de peixe também pode ser um sucesso!!

Bom, copiei algumas receitas de papas  de peixe que podem ser oferecidas para bebês! Bon apetit!

PAPINHA DE PEIXE COM LEGUMES (a partir de 6 meses)

INGREDIENTES

1 colher de sopa de óleo de girassol

50 g de filé de peixe (atenção para os espinhos)

1 colher de chá de cebola picada

 1 batata pequena em fatias finas

1/2 chuchu

1 colher de sopa de couve picada

1 copo americano de água

1 pequena pitada de sal

Modo de Preparo

Em uma panela aqueça o óleo para refogar a cebola e o peixe. Acrescentar os demais ingredientes. Cobrir com água. Tampar e cozinhar em fogo médio até que os ingredientes fiquem macios e com pouco caldo. Amassar com o garfo e servir em seguida!

Observação: consumir em até 24 horas.

Receita adaptada do site Comer para Crescer.

PURÊ DE PEIXE, BATATA DOCE E BROCOLIS (a partir dos 9 a 12 meses)

Ingredientes:

1/2 batata doce descascada em cubinhos

2 floretes de brocolis cortado

115g de filé de pescada branca em tirinhas

4 colheres de sopa de leite

20g de mussarela ralada

Modo de preparo:

Espalhe os cubinhos de batata doce e os brócoflis numa panela a vapor. Deixe cozer por 6-8 minutos, até estarem macios.

Enquanto isso, coloque o peixe em uma panela pequena, cubra com o leite e cozinhe por 2 minutos, até desmanchar. Retire do fogo e incorpore a mussarela até derreter e triture com um mixer ou processador de alimentos. Se necessário, junte mais leite.

Resfrie o quanto antes. Antes de servir, aqueça muito bem.

Receita do livro: O livro essencial da alimentação infantil.

Papinha de Salmão, Cenoura e Ervilha com Queijo (dos 9 a 12 meses)

papa de peixe

Ingredientes:

150ml de caldo de legumes (não industrializado) ou água

1/2 batata descascada em cubinhos

1 cenoura descascada em cubinhos

115 g de filé de salmão sem pele e cortado em cubos de 1 cm

2 colheres de sopa de ervilha fresca congelada

30g de mussarela ralada

1 a 2 colheres de sopa de leite (materno ou fórmula infantil)

Modo de preparo:

Leve o caldo com a batata  e a cenoura para ferver. Abaixe o fogo, tampe e cozinhe por uns 6 minutos ou até os legumes amolecerem.

Junte o salmão e as ervilhas. Tampe novamente e cozinhe por mais 3-4 minutos, até que o salmão comece a soltar lascas.

Coloque o cozido em uma tigela e incorpore a mussarela ralada. Amasse com um garfo, até a consistência desejada. Se necessario, acrescente o leite.

Esfrie o quanto antes, cubra e leve a geladeira. Se preferir, congele em porções individuais. Para usar, descongele durante a noite na geladeira, então aqueça até ficar bem quente. Mexa bem e deixe amornar antes de servir.

Receita do livro: O livro essencial da alimentação infantil.

 Referências:

Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia. Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/pdfs/14617a-PDManualNutrologia-Alimentacao.pdf>. Acesso em: 27 de fevereiro de 2015.

 KARMEL, A. O livro essencial da alimentação infantil. São Paulo: Pubifolha, 2010.

http://foodallergies.about.com/od/livingwithfoodallergies/fl/How-to-Get-DHA-with-a-Fish-Allergy.htm

Leite Materno X Fórmula infantil X Leite de Vaca

Você sabe qual o melhor alimento DO MUNDO para o seu filho/a? Leite materno. Isso mesmo. Até os 6 meses de vida, o bebê deve tomar APENAS LEITE. Nada de água, chazinho, suquinho. LEITE MATERNO.

A Organização Mundial da Saúde recomenda o aleitamento materno até os 2 anos de vida! E muito embora essa seja uma recomendação importante para a saúde dos pequenos, nossa sociedade muitas vezes condena o aleitamento para crianças maiores de 1 ano. Lembro-me bem de alguns olhares tortos quando ainda amamentava meu bebe com quase 1 ano…

Enfim, vamos enfatizar então os motivos para fazer sim, QUESTÃO de amamentar nossos filhotes com o leite materno:

– Supre as necessidades de proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o bebê necessita para ser saudável.

– Tem anticorpos e glóbulos brancos que os leites artificiais NÃO TEM. O leite materno protege o bebê de algumas doenças e infecções: otites, alergias, vômitos, diarréia, pneumonias, bronquiolites e meningites!

– Por conter ácidos graxos essenciais, melhora o desenvolvimento mental do bebê.

– É de mais facil digestão.

– Promove o estabelecimento de um vinculo afetivo – facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com outras pessoas.

– Melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.

– A amamentação é mais econômica para a família!!

FÓRMULAS INFANTIS

Quando não se é possível amamentar, existem hoje no mercado muitas opções de formulas infantis que suprem as necessidades do bebê. Infelizmente, há um número crescente e desnecessário de crianças alimentadas com fórmulas infantis. Parece que estamos esquecendo da nossa capacidade primitiva de alimentar a cria. Penso as vezes se estamos involuindo nesta questão, pois ouço tantos relatos de “incapacidade”de amamentar… Uma questão um tanto mais psicológica do que fisiológica! Bom, não vou discorrer sobre o assunto para não criar polêmicas…

Enfim, algumas características sobre AS FORMULAS INFANTIS:

– Gordura: mistura de óleos vegetais.
– Carboidratos: as fórmulas contêm lactose exclusiva ou associação de lactose com polímeros de glicose (maltodextrina).
– Proteínas: contêm caseína e proteínas do soro do leite de vaca. A presença da caseína e proteínas do leite de vaca  pode favorecer a alergia em algumas crianças. Por isso, algumas fórmulas possuem redução protéica e melhor perfil de aminoácidos (menos alergênicos).
– Minerais: são adicionados, tentando-se aproximar os seus teores dos do leite materno. A relação cálcio-fósforo é adequada.

– Vitaminas e microminerais: atendem às necessidades da criança sadia.

– Nucleotídeos: papel fundamental na estrutura do DNA e RNA e também são
essenciais para o metabolismo celular;
– Prebióticos: são adicionados. Os prebióticos estimulam o crescimento e/ou atividade de um grupo de bactérias no cólon que traz benefícios à saúde do indivíduo. Os principais são frutooligossacarídeos (FOS) e galactooligossacarídeos (GOS);
– Probióticos: são adicionados à fórmula. São microorganismos vivos  que alteram a composição da microbiota produzindo efeitos benéficos à saúde quando consumidos em quantidades adequadas;
– Acidos graxos essenciais adicionados: DHA e ARA  que participam
de forma importante na estrutura da membrana celular da retina e da mielinizaçãodo sistema nervoso.

LEITE DE VACA
O leite de vaca (in natura, integral, em pó ou fluido) não é considerado alimento apropriado para crianças menores de 1 ano.
Por quê não é adequado?
• Gorduras: contém baixos teores de ácidos graxos essenciais, como o ácido linoleico (dez vezes inferior às fórmulas), sendo necessário o acréscimo de óleo vegetal para atendimento das necessidades do recém-nascido.
• Carboidratos: sua quantidade é insuficiente quando o leite é diluído a 2/3,
sendo necessário o acréscimo de outros açúcares frequentemente mais danosos à saúde, como a sacarose, com elevado poder cariogênico.
• Proteínas: fornece altas taxas, com consequente elevação da carga renal de
soluto e risco de desenvolvimento de obesidade no futuro. Apresenta relação
caseína-proteínas do soro inadequada, comprometendo a digestibilidade.
• Minerais e eletrólitos: fornece altas taxas de sódio, contribuindo para a elevação da carga renal de soluto, deletéria principalmente para os recém-nascidos de baixo peso.
• Vitaminas: baixos níveis de vitaminas D, E e C.
• Oligoelementos: são fornecidas quantidades insuficientes, com baixa biodisponibilidade de todos os oligoelementos, salientando-se o ferro e o zinco.

Abaixo  copiei um quadro do Manual de Orientação – Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Pediatria, 2012,  que resume as diferenças de cada leite.

 

LEITE HUMANO LEITE DE VACA INTEGRAL

FÓRMULAS INFANTIS

PROTEÍNA

Quantidade adequada, fácil de digerir Quantidade aumentada, difícil de digerir devido a relação caseína/proteínas do soro Melhor relação de proteínas do soro/caseína. Algumas formulas possuem redução protéica e melhor perfil de aminoácidos

LIPÍDIOS

Suficiente em ácidos graxos essenciais, lipase para digestão Deficiente em ácidos graxos essenciais, não apresenta lipase Adicionado ácidos graxos essenciais (DHA e ARA), diminuição da gordura saturada e acréscimo de óleos vegetais

MINERAIS

Quantidade correta Excesso de cálcio e fósforo, sódio, cloro e potássio. Modificação nos teores dos minerais. Relação cálcio/fósforo adequada, favorecendo a mineralização óssea.

FERRO E ZINCO

Pouca quantidade, bem absorvido Pouca quantidade, mal absorvido Adicionado

VITAMINAS

Quantidade suficiente Deficiente D, E e C Vitaminas adicionadas

PREBIÓTICOS

Quantidade suficiente Deficiente Adicionado (FOS, GOS)

PROBIÓTICOS

Quantidade suficiente Deficiente Adicionado

ÁGUA

Suficiente Necessário extra Pode ser necessária

Amamentar é um processo muitas vezes dolorido no começo e a insegurança materna podem ser fatores do desmame precoce. Mas antes de tomar a decisão de oferecer a fórmula infantil, procure os bancos de leite para sanar as dúvidas referentes à amamentação. Está provado que o psicológico da mãe interfere na produção do leite!! Nosso corpo é programado geneticamente para alimentar os filhos…

Felizmente consegui amamentar meus dois filhos até 1 ano. Os benefícios para eles e para mim (consegui emagrecer 25kg depois do primeiro filho) são indiscutíveis!!!

Se ainda estiver com dúvidas, procure um nutricionista! Mudança de hábitos alimentares da mãe também favorecem a produção de leite!!

Autora: nutricionista Karen Dykstra Carmona

Referencia:

Manual de Orientação – Departamento de nutrologia. Disponível em: http://www.sbp.com.br/pdfs/14617a-PDManualNutrologia-Alimentacao.pdf . Acesso em: 27 de fevereiro de 2015

– www.comoamamentar.com.br

Linguiça em churrasco não é para crianças!!

 

Imagem do site: www.estanciadospampas.com.br

Último dia do ano e uma bronca para todos os churrasqueiros e planejadores (as) de churrasco, rs! Uma frase que ouço frequentemente e que me incomoda muito é: “vou fazer uma linguicinha para as crianças” como se esta opção fosse a melhor escolha para elas. Sim, claro, as crianças amam linguiça: facil de mastigar e engolir e SUPER CONDIMENTADO. E quando digo super condimentado, quero dizer impróprio para o consumo de crianças… especialmente antes dos 2 anos de idade. Vou explicar…

 

imagem do site www.defumadosganchinho.com.br
imagem do site www.defumadosganchinho.com.br

A linguiça frescal, ou seja, aquela que não passou por nenhum processamento térmico é extremamente manipulada durante a sua produção. Várias cortes de carne bovina e aparas, além da carne e gordura suína e carne mecanicamente separada de frango são misturados, moídos, temperados e depois embutidos nas tripas animais (previamente limpas) ou sintéticas. Muitas vezes carne já chega contaminada e essa contaminação pode ser maior se os manipuladores não forem bem treinados. O estudo de Silva et all., revelou presença de Listeria monocytogenes em quase 29,3% da matéria prima analisada, porém das 6 amostras de produto final (da linguiça pronta) somente uma estava contaminada com esta bactéria. Parece pouco, porém, ao produzir linguiça em larga escala, essa amostra pode significar alguns muitos quilos que serão comercializados, podendo causar um surto de toxinfecção alimentar. Neste caso, um surto de listeriose, que pode causar doença até 2 MESES após o consumo, é muito preocupante, especialmente no caso de idosos, gravidas, crianças e pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, como transplantados ou com câncer.

Os sintomas incluem febre e dores musculares, às vezes precedida por diarreia e outros problemas gastrointestinais.

Além do risco de listeriose outro motivo PARA NÃO OFERECER LINGUIÇA PARA AS CRIANÇAS e até para você mesmo, é a adição de sais de cura como o nitrato e nitrito de sódio e de potássio.

OLIVEIRA, M.J. et al, afirmam que “os sais de nitrito, além de conservarem a carne contra a deterioração bacteriana, são fixadores de cor e agentes de cura. Seus efeitos adversos são representados principalmente pela metamioglobina tóxica (a hemoglobina não consegue carregar mais o oxigenio) e pela formação de nitrosaminas. Seu uso é discutível dada a possibilidade de originar compostos nitrosos de ação CARCINOGÊNICA“.

Não há padronização na produção de linguiças, e a qualidade pode variar muito com cada fabricante. A quantidade desses sais de cura adicionados não tem o controle da Vigilância Sanitária, sendo o fabricante o responsável pela quantidade que utiliza. Por isso, nunca compre linguiça de produção clandestina, caseira. Sempre opte por marcas confiáveis, pois o risco de uma intoxicação por nitrito ou nitrato é bem menor.

fuja correndo…

SAIBA MAIS: O nitrito é bem mais tóxico que o nitrato. Produz, principalmente, vasodilatação e relaxamento da musculatura lisa em geral, além da formação de metahemoglobina. A dose letal para adultos está em torno de 1 grama. Em doses mais baixas, os sintomas são enrubescimento da face e extremidades, desconforto gastrointestinal e dor de cabeça. Em doses tóxicas um pouco mais elevadas observam-se cianose, náusea, vômitos, dores abdominais e colapso .

ENFIM, para um churrasco mais saudável e saboroso, opte por carnes frescas não temperadas (também sou contra isso rsrs). Faça uma salmoura com ervas frescas (veja mais no nosso post Carne assada e marinada) ou tempere só com sal, fica uma delícia. Vamos aderir a #CAMPANHASEMADITIVOS.

Ah, sugestão de carnes bem aceitas por crianças – drumet de frango, costelinha de porco bem assada e a carne que todos os adultos estão comendo!! ;o)

Imagem do site www.churrascoartgourmet.com

 

Em breve estaremos em 2015! Que seja repleto de momentos especiais, com pessoas queridas. Feliz Ano Novo! E chega de linguiça…

Autora: Karen Dykstra Carmona

 

Referencias:

OLIVEIRA, M. J. et al. Quantificação de nitrato e nitrito em lingüiças do tipo frescal. Disponivel em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-20612005000400018&script=sci_arttext. Acesso em: 31 de dezembro de 2014.

SILVA, W. P.; et al. Listeria spp. no processamento de lingüiça frescal em frigoríficos de Pelotas, RS, Brasil. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-84782004000300039&script=sci_arttext. Acesso em: 31 de dezembro de 2014.

 

 

Rotavírus e alimentação

Quem nunca teve uma gastroenterite ou piriri ou infecção com rotavirus, enquanto esteve viajando?? E na praia, quem nunca?

O que de fato acontece para que nossas férias deixem de ser tão prazerosas??

Existem 7 sorotipos diferentes de Rotavirus, porém somente 3 infectam o homem e causam gastroenterite aguda. A transmissão geralmente ocorre via FECAL-ORAL (isso mesmo, comemos/tomamos “coco”), pelo contato direto entre as pessoas contaminadas, por utensílios, brinquedos e ÁGUA contaminados.

Infelizmente muitas cidades litorâneas não conseguem tratar todo o volume de esgoto produzido na época de temporada. Esgoto não tratado e muita gente usando o mar como banheiro público… argh!!! Imaginou na quantidade de microrganismos que você ingere num golinho de água??

Aí alguém da família pegou o tal Rotavirus e o efeito dominó começa. Primeiro filho 1, depois filho 2 enquanto você também começa com os sintomas… daí o resto da família sucumbe… penso que deve essa é uma infecção solidária…

Os sintomas mais importantes:

Imagem do site bemnutri.com.br
  • Diarréia aguda, aquosa e muitas vezes, explosiva.
  • Vômitos.
  • Febre e mal-estar.
  • Coriza e tosse (as vezes).
  • Desidratação nos casos graves (pode ser fatal).

Recomendações

* Lave as mãos cuidadosamente e com freqüência, especialmente depois de usar o banheiro e de trocar as fraldas das crianças, antes das refeições e quando for preparar os alimentos;

* Desinfete todas as frutas e verduras que serão consumidos crus. Saiba como fazer isso no nosso post: Desinfecção de frutas e verduras.

* Use água tratada para beber e também no preparo dos alimentos;

* Mantenha sempre bem limpos os utensílios de mesa e os que são usados na cozinha;

* Lembre-se de que o soro caseiro e os produtos equivalentes contêm sais minerais importantes para reidratar o paciente não encontrados na água pura;

Imagem do site: saude.culturamix.com

* Procure o médico tão logo a criança apresente episódios de diarréia aguda.

 

QUE ALIMENTOS OFERECER OU NÃO DURANTE UM QUADRO DE DIARRÉIA?

SIM:

  • Ofereça sempre pequenas porções de comida e bebida.
  • Soro caseiro, bebida isotônica, água de coco para repor eletrólitos.
  • Maça sem casca e suco de maça ajudam a conter a diarréia, pois contem pectina, um prebiotico que ajuda na reconstrução da flora intestinal.
  • Arroz branco, torradas e alimentos pouco gordurosos são os mais indicados.
  • Lascas de gelo podem ser alternativas interessantes para crianças com dificuldades de ingerir liquido.
  • Leite materno para lactentes.

NÃO OFEREÇA

  • Frutas cítricas, muito ácidas.
  • Leite e laticínios (queijo, iogurte, requeijão, creme de leite) – eles podem intensificar os problemas e estimular a produção de muco.
  • Especiarias (ex: pimenta) que possam irritar o revestimento gástrico.
  • Alimentos com muitas fibras como cereais integrais, vegetais e frutas com casca,
  • Alimentos fritos ou com adição de gorduras,
  • Alimentos que provocam gases e desconforto abdominal como feijão, etc.
  • Chocolate e outros doces que também tenham gorduras
  • Algumas bebidas também devem ser evitadas como bebidas alcoólicas, café e bebidas com cafeína porque são diuréticas e podem levar à desidratação.

 

TRATAMENTO

Não existem medicamentos específicos para combater a infecção por Rotavírus.

Os quadros leves são autolimitados: a infecção dura alguns dias e regride. Os mais graves estão associados à desidratação e podem ter complicações fatais.

Sempre mantenha-se hidratado em casos de infecções alimentares e procure um médico, sempre que possível.

Neste verão, cuide bem da alimentação, da higiene ao preparar os alimentos e da água que bebe/cozinha!!

E principalmente, descanse e curta muito!!!

Imagem do site: t-udosobrenada.blogspot.com

Autora: Karen Dykstra Carmona

Referências:

KARMEL, A. O Livro essencial da alimentação infantil – receitas deliciosas e respostas para as dúvidas mais comuns. Sao Paulo: Publifolha, 2010.

Site do Ministério da Saúde. Disponível em: <http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/758-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/rotavirus/11436-perguntas-e-respostas>. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

Infecção por Rotavírus. Disponível em: http://drauziovarella.com.br/crianca-2/infeccao-por-rotavirus/. Acesso em 11 de dezembro de 2014.

 

 

Hábito alimentar saudável desde a infância!

75c40-75

Quando uma criança nasce, a família, e especialmente a mãe (na maioria dos casos) tem um papel fundamental na alimentação e na formação do habito alimentar. Nos primeiros 6 meses dá-se preferencia ao aleitamento materno exclusivo, pois este supre todas as necessidades do bebê, além de criar um vinculo importante com a mãe entre tantos outros benefícios.

Após os 6 meses, quando a alimentação complementar (complementa, mas não substitui o leite materno) se inicia, outros agentes familiares podem também contribuir com a oferta de alimentos para a criança.

Nesta fase, surgem muitas dúvidas do que oferecer e o que não oferecer para a criança. Especialmente com o primogênito, a mãe (e pai, por que não?) procura oferecer somente alimentos saudáveis, se esforça ao máximo para evitar as guloseimas. E eis que aqui surgem alguns problemas com as pessoas que não convivem diariamente nesta rotina.

Vamos exemplificar algumas situações que nós mães enfrentamos:

  • “Ah, um pedacinho de chocolate não vai fazer mal”.
  • “Coloca um pouco de açúcar nesta fruta/suco pra criança gostar mais”.
  • “Com ketchup tenho certeza que come”.
  • “Sério mãe, que batata frita não pode? (a pessoa fala isso virando os olhos….). Só uma não vai fazer mal”.
  • “Dei um golinho de coca-cola pra ver a carinha dele…”

E é neste momento que a gente quase mete uma voadora na cara da pessoa,

voadora

pois haja paciência para fazer papinha fresca todos os dias, oferecer fruta até a criança pegar gosto e aparecer um fulano pra estragar todo o trabalho. E para quem está me achando radical fica a pergunta: Qual a sua dificuldade HOJE para manter uma alimentação saudável?? Gosta de comer todas as frutas, verduras, alimentos integrais ao invés dos produtos industrializados, sorvetes, chocolates, refrigerantes e frituras??

Então, aquela famosa frase para mim sempre fez muito sentido nesse caso – “Se não for ajudar, então não atrapalhe (e também não critique)!”. Ah, e perguntar para a mãe antes se pode é PRIMORDIAL!

Hábito alimentar saudável é muito mais fácil de ter quando se aprende desde pequeno.

brocolis e bebe

Na semana passada tive a oportunidade de ver esse vídeo no facebook e que veio de encontro ao que eu gostaria de escrever no blog. Por favor, tire um tempinho para assistir esse vídeo. Coloquei duas versões por não saber se a versão legendada pode ser visualizada. Caso não, clique no link abaixo dele:

Preciso dizer mais alguma coisa??? Que tal sermos adultos mais responsáveis com o que ensinamos nossas crianças a comer??

Segue abaixo uma lista dos alimentos que evitem ou nunca dêem para as crianças comerem (Alimentaçao infantil: Cartilha de orientação aos pais):

  • Refrigerantes (nunca, mas nunca dê refrigerante) e sucos artificiais (especialmente os sucos em pó).
  • Produtos industrializados e com conservantes.
  • Produtos com corantes artificiais. Cuidado com alimentos infantis muito coloridos, esse apelo visual tem um preço!
  • Produtos embutidos (salame, presunto, linguiça, mortadela) e enlatados (milho verde, ervilha, pepino azedo, palmito, azeitona, picles etc).
  • Açúcar, bolos, biscoitos recheados e guloseimas em geral.
  • Balas de qualquer tipo, pirulito, pipoca, amendoim e outros alimentos pequenos e duros podem provocar acidente grave por engasgamento – podendo inclusive levar à morte. CUIDADO!
  • Chocolates e achocolatados.
  • Qualquer tipo de fritura (doce ou salgada)
  • Maionese, ketchup, mostarda, pimenta e outros condimentos similares.
  • Salgadinhos de pacote em geral
  • Alimentos muito doces ou muito salgados
  • Alimentos muito condimentados- com excesso de tempero
  • Alimentos prontos que ficaram muito tempo em temperatura ambiente.

Alimentos que podem e devem ser oferecidos SEMPRE (Alimentação infantil: Cartilha de orientação aos pais):

  • Frutas (banana, manga, abacate, maça, pera, melão, melancia, caqui, laranja, pokan, mamão, abacaxi)
  • Suco de fruta natural (de preferencia sem adição de açúcar).
  • Vitamina de fruta com cereal (de preferncia aqueles fortificados com ferro).
  • Legumes (cenoura, chuchu, abobora, beterraba, etc) cozidos no vapor ou em pouca água, cortados em forma de palito. Assim a criança pode comer com as próprias mãos.
  • Bife de carne magra ou de fígado de boi grelhado, coxinha de frango assado e sem pele.
  • Mingau ou pudim com leite e cereais. Se a criança ainda mama no peito, prepare o mingau com o leite materno).
  • Paes e biscoitos sem recheio.
  • Iogurte natural ou coalhada caseira.
  • Picolé de SUCO DE FRUTA NATURAL
  • Bolos simples, sem cobertura, podendo ser feitos também com legumes ou frutas (de fubá, de cenoura, de banana, de abacaxi, de beteterraba e de maça).
  • Saladas de tomate, chuchu, cenoura, beterraba, vagem, etc.
  • Salada de frutas ou salada de legumes e ou vegetais com frutas (repolho com maça, alface com manga, beterraba com laranja, cenoura com abacate).
  • Batata, aipim, batata-doce e batata salsa podem ser servidos na forma de purê ou cozidos, cortados em pedaços pequenos, acompanhados de feijão, carnes ou vegetais.
  • Dê sempre preferência aos alimentos em sua forma mais natural possível.

 

UMA OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: para crianças que tem alergia, seja de leite de vaca, soja, ovo entre outros, uma mínima quantidade do alimento já desencadeia uma série de sintomas que você não terá de lidar, portanto, nunca, nunca ofereça nada sem perguntar para a mãe ou responsável antes. Mesmo que o alimento lhe pareça inocente, podem conter traços de leite, soja etc, e provocar diarreias, vômitos, manchas no corpo durante dias…

 

Imagem do site: http://revigoranca.blogspot.com.br/2011/12/quer-saber-pronto-falei.html
Imagem do site: http://revigoranca.blogspot.com.br/2011/12/quer-saber-pronto-falei.html

Autora: Karen Dykstra Carmona

 

Referências:

Alimentação infantil: Cartilha de orientação aos pais. Prefeitura Municipal de Curitiba. Outubro de 2007.

Todo mundo já pra mesa!

familia comendo
Imagem do site: thamaracancilieri.blogspot.com
Imagem do site: thamaracancilieri.blogspot.com

O post de hoje é alerta para aquelas famílias (a minha inclusive) que permite muitas vezes que a televisão, ipad, iphone (entre outras distrações) sejam os convidados principais da nossa mesa.

Tenho refletido bastante sobre isso, e também na comodidade de ter nossos pequenos fascinados olhando para as telinhas enquanto enfiamo-lhes  a comida goela abaixo… É mais fácil assim, sem resistências, enfim silêncio à mesa. Mas como isso irá influenciar suas vidas?  Já falamos um pouco sobre isso no post “Mastigue e… emagreça?”, mas eu gostaria de reforçar a importância de construir um hábito de alimentação correto, para ser levado para toda a vida. E ainda sair lucrando: estreitando os laços familiares!!

Imagem do site: www.superfluous.com.br
Imagem do site: www.superfluous.com.br

A falta de atenção no que se come, e em quanto se come influencia diretamente no nosso peso e das nossas crianças. Observem na rua, como os brasileiros há algum tempo estão mais fofinhos… (e não entenda o fofinhos como um elogio!).  Também não quero, de forma alguma, fazer apologia aos anoréxicos de plantão.  Minha intenção é quebrar o ciclo. Comer demais porque o cérebro está distraído com tanto estímulo que não seja o cheiro e gosto da comida… Saboreie a comida e curta a companhia!

familia comendo

É importante também considerar o “comportamento espelho”- toda criança imita aqueles em que confia e que admira. Por isso a importância de dar o exemplo: tanto nas escolhas dos alimentos quanto a sua postura na mesa. Não espere que a criança fique tranquila comendo brócolis enquanto você checa seu email ou as curtidas do facebook comendo batata frita…

Achei inspirador e cito aqui um parágrafo escrito por uma colega de profissão Claudia Lobo: “somos aquilo que está em nosso sangue, e o que está em nosso sangue é o que comemos. Pense em tudo que uma boa alimentação e uma nutrição eficiente de todas as células de seu corpo podem lhe dar.  Pense numa pele perfeita, lisa, hidratada, firme e sem manchas, com brilho e elasticidade. Pense em cabelos saudáveis, sedosos e reluzentes.  Pense em unhas fortes e brilhantes, em olhos vivos e radiantes, sorriso limpo e cintilante. Pense em todas aquelas “ites”- sinusite, bronquite, gastrite, faringite, rinite etc. – como coisas do passado. Pense na possibilidade de ter mais disposição, vitalidade, bom humor e alegria. Pense em sono tranquilo, beleza, aparência mais jovem, ter a balança como amiga. Pense em saúde e longevidade. Pensou?”.

 

Que tal investir numa mudança de hábito alimentar para beneficiar você e sua família?

Aqui em casa essa mudança começa hoje! Rs

sem wifi

Autora: Karen Dykstra Carmona

 

 

Referencia:

LOBO, C. Comida de Criança: Ajude seu filho a se alimentar bem sempre. São Paulo: MG Editores, 2010.

Dicas para a introdução de alimentos!!

Imagem do site: www.ndig.com.br

Tenho observado bastante insegurança das mães quando o assunto é a introdução de alimentos. Muitos materiais disponíveis com posicionamentos diferentes relacionadas ao assunto. Decidi colocar no blog uma sugestão de introdução alimentar, baseada nos meus conhecimentos de nutrição e também de mãe.

Bem, como começar?

Imagem do site: vounasceroutravez.blogspot.com

Comece com um sorriso!!! Deixe de lado sua ansiedade, pois você está prestes a ensinar o bebê a comer e experimentar alimentos sólidos, um dos grandes prazeres da vida. Transforme toda refeição em uma experiência prazerosa para vocês dois.

A oferta de alimentos deve ser de forma lenta e gradual. Essa fase não significa que o desmame deva ocorrer. Inicialmente, ofereça suco (em torno de 60ml)  de fruta sem adicionar açúcar, 1 vez por dia durante 1 semana.  As frutas permitidas devem ser pouco ácidas: laranja lima, melão, pêra, mamão papaya. Logo que a criança passe a aceitar o suco, faça também as combinações de laranja lima com mamão papaya, laranja lima com cenoura…

Na segunda semana, comece a oferecer o suco pela manhã e fruta amassada a tarde.  A quantidade inicial de fruta amassada fica em 1-2 colheres de sopa. É importante somente amassar a fruta, para que o bebê vá se acostumando com novas texturas e treinando para os alimentos mais sólidos.  Frutas para serem oferecidas: pêra e maçã raspadas, banana prata, mamão papaya, melão e etc. Evite frutas muito acidas e duras. Na terceira semana, a combinação de frutas amassadas pode ser feita. Lembre-se sempre de variar… não ofereça sempre a mesma fruta.

Imagem do site www.iplay.com.br

Não dê importância para o quanto a criança come na primeira ou segunda semana, pois ela continua a retirar os nutrientes de que precisa do leite. É importante criar uma rotina e o melhor momento para oferecer o suco ou fruta é no intervalo de uma mamada e outra, assim o bebê não estará inapetente ou com muita fome a ponto de recusar a abrir a boca.

Se o bebê já se adaptou as frutas, está na hora de inserir a papa salgada. Na quarta semana faça a  introdução da papa na hora do almoço, para que não hajam problemas com gases durante a noite.

Imagem do site: horizontepleno2.blogspot.com

Inicie a oferta da papa salgada com um alimento por vez. Exemplo: Purê de cenoura por 2 dias. Verifique se há reação (diarréia, urticária, ou algum sinal de alergia). Caso esteja tudo ok, ofereça cenoura+batata. Observe. Depois, cenoura + batata + frango. Com o tempo, tente variar as cores e tipos de alimentos (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas e legumes), e também as proteínas animais (ovo – veja sobre o ovo no nosso blog, frango, carne e peixe).  É importante que se inclua a carne desde o início para garantir o ferro de boa biodisponibilidade.

Aos 6 meses

1a. Semana – Leite materno, suco de fruta pela manhã, continuar amamentando normalmente nos demais horários.

2a. Semana – Leite, suco de fruta pela manhã, leite materno,  papa de fruta a tarde,  continuar amamentando nos demais horários.

3a. Semana – Leite, suco de fruta pela manhã, leite materno, papa de fruta (misturar frutas), leite materno nos demais horários.

4a. Semana – leite materno, suco de fruta pela manhã, papa salgada para almoço, papa de fruta, leite nos demais horários.

Oferecer o peito logo após os alimentos em papa não deve ser uma regra, mas uma alternativa quando a criança aceita pouco o alimento oferecido.


Com 7 meses, a alimentação da criança já pode ter 2 papas salgadas (almoço e jantar) e duas papas de frutas.

A partir dos 8 meses, podem ser oferecidos os mesmos alimentos preparados para a família, desde que amassados, desfiados, picados ou cortados em pedaços pequenos.

Sopas e comidas ralas/moles não fornecem energia suficiente para a criança.

Não bata os alimentos no liquidificador, pois a mastigação da criança deve ser estimulada e com a ingestão de alimentos “líquidos” isso não acontece.

 

Para garantir a alimentação saudável do seu bebê:

Imagem do site: ricardopolegar.blogspot.com
  •  Utilize o mínimo de sal (se pra você estiver “bom de sal” provavelmente já está muito salgado para o bebê).
  • Não adicione açúcar nos sucos e frutas. Suco industrializado não deve ser oferecido.
  • Também não utilize enlatados,  frituras, refrigerantes, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida!

Autora: Karen Dykstra  Carmona

 

Referências:

– VITOLO, M. R. Nutrição – Da gestação à Adolescência. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2003.

– KARMEL, A. O Livro Essencial da Alimentação Infantil. São Paulo: Publifolha, 2010.

– WARDLEY, B.; MORE, J. O grande livro de receitas: Comidas para bebês e Crianças: 365 pratos deliciosos para todas as ocasiões. São Paulo: Publifolha, 2009.