Aventuras culinárias em Dubai e Japão

Olá, queridos leitores!

Recentemente estive com meu marido no Japão e fiquei maravilhada com a cultura japonesa e sua culinária. Decidi dividir aqui com vocês a nossa experiência 😉

Antes de chegar no Japão, fizemos uma parada em Dubai. Infelizmente não tivemos muito tempo para experimentar a comida local. Tenho para dizer que no café da manhã do hotel, havia muitas opções que temos também aqui no Brasil: omeletes, ovos mexidos, pães, iogurte tradicional, frutas como melão e melancia e frutas em conserva, além de pratos mais árabes/indianos como os iogurtes saborizados com frutas ou especiarias conhecidos como Lassi (experimentei um e achei ruim pois era MUITO doce e enjoativo), babaganuche (patê de berinjela assada, tahine e limão), pão sírio, frango masala (com molho picante de curry e especiarias). Obviamente que tive de experimentar todas as opções diferentes das que temos aqui. O frango massala era uma opção bastante picante…. achei interessante, porém acharia mais natural comer este prato no almoço rs. Bom, a partir desse café da manhã diferente, nada mais seria como antigamente rsrs Japão também veio com suas surpresas…

Ficamos somente 2 dias em Dubai. Deu pra comer um tipo de churrasco em tendas típicas beduínas no deserto e almoçamos algo indiano no shopping no dia seguinte e confesso, um hambúrguer no jantar, rs.

Bom, era hora de partir para o Japão. Fomos com a Emirates Airlines e no café da manhã servido no avião já deu para ter uma noção do que nos aguardava rsrs. Ok, tínhamos duas opções: omelete ou peixe. Sim, peixe no café da manhã. Desta vez fiquei com a opção mais “segura de que gostaria de comer”… omelete com batatas, frutas – melão e laranja, pudim. Digamos que achei assim…. diferente (longe de delicioso). A maioria dos japoneses presentes no avião optaram pela opção de peixe.

Chegamos tarde da noite no hotel, na verdade, as 2:30 da madrugada… Fomos levados ao hotel pela Sandra Mi, uma brasileira muito querida que mora no Japão e tem projetos incríveis de educação lá. Quem quiser saber mais, acesse o site: http://uniexcellence.com .

Bom, a Sandra, no caminho do hotel já nos avisou que o café da manhã era comida e não o tradicional café da manhã a que estamos habituados. Pela manhã estávamos com muita fome (confusão de fuso horário… nosso café da manhã era a hora do jantar brasileiro…). Já na entrada do restaurante chega a senhora responsável falando muita coisa em japonês e se curvando. “Entendemos” então que ela estava nos recepcionando, algo tipo: sejam bem vindos. Segue a fotinha com o que nos servimos:

cafe da manha japaoIogurte natural com calda de morango, salada, bolinho primavera, dashimaki (omelete adocicado estilo rocambole), linguiça de frango, batata assada, arroz (GOHAN – é bem grudadinho, acho que cozido sem temperos), missoshiru (sopa japonesa – caldo de peixe, pasta de soja, tofu, cebolinha verde e esse verdinho aí não tenho muita certeza do que é… enfim, tem mais informações sobre essa sopa neste site www.culturajaponesa.com.br ). Tinha também uma opção de peixe assado, mas como estava frio, preferi não comer rs. Percebi que o arroz é para os japoneses o que o pão é para nós. Ah, e tudo sendo comido com o HASHI (aqueles palitinhos), ainda bem que já tínhamos certa prática comendo sushis aqui no Brasil.

O que achei bem curioso também é que somente havia disponível hashis, colheres e garfos, nada de faca. Num cantinho do restaurante havia pão fatiado, sache de margarina ou geleia para quem não curte o tradicional café da manhã japonês. Para passar a manteiga ou geleia, estava disponível um tipo de talher de plastico sem serra e sem ponta… Nos últimos dias da viagem optei por esse setor ocidental de café da manhã rsrs… digamos que estava sentindo saudades de casa, e de gluten rsrs

Ficamos ainda em outros 2 hotéis e 1 apartamento de airbnb em Tóquio. Neste último tínhamos de comprar nosso próprio café da manhã. Compramos iogurte, café instantâneo já com o número de copos descartáveis incluso, sanduíches prontos e bolinho industrializado.

Segue foto de outro café da manhã que tomamos em Gotenba, ao lado do monte Fuji (perdão pela qualidade da imagem, só depois que fui ver):

cafe em gotenbaOmelete doce, sopa misso, saladinha, um tipo de hambúrguer com muito ketchup, um bolinho com carne de porco embrulhado em algo tipo repolho e essa saladinha adocicada que não sei o nome rsrs… Vejam só a aventura…. acho que a maior parte do tempo a gente não tinha ideia do que estava comendo rs. Claro que me dei mal com isso em algumas ocasiões, rs.

Uma curiosidade deste hotel em Gotenba, mas que define muito bem a cultura japonesa em geral, é que todos pensam no bem estar do coletivo. Na mesa do café da manhã, além de sempre levarmos a louça que usamos para a funcionária do restaurante, tinha um paninho na mesa, pra gente limpar a mesa antes de sair, para que o próximo cliente tenha sua mesa limpa. Fantástico não?

paninho do cafe

Outros exemplos desta cultura maravilhosa de pensar no coletivo: falar baixo para não atrapalhar o outro; cuidar do próprio lixo (e que é cuidadosamente separado – ah, não tem lixeira nas ruas não…); não falar em locais públicos no celular, muito menos ouvir música e assistir videos sem o fone de ouvido. Tudo é sempre pensando no outro… quanto menos eu aparecer, incomodar, melhor! Imagina só como seria isso no Brasil? Certamente meu vizinho festeiro que passa quase dormindo no volante todos os finais de semana as 4 da manhã, com o som mais do que estourado, não existiria! \o/ Acho que temos MUITO  o que aprender sobre educação com os japoneses.

Esse post vai ser longo rs… então se prepara rs!

Nosso primeiro jantar japonês, foi muito bacana e delicioso. A Sandra nos levou num restaurante que pedíamos tudo por um tipo de ipad. As porções de sushis e niguiris e sashimis (até agora acho confuso o que é o que rsrs) eram encaminhadas para nossa mesa através de um barquinho num trilho. Tudo de forma automática e rápida. Íamos pedindo devagar, porções individuais. Gente, a comida japonesa lá é uma delícia. Tudo fresquinho, sem aquele cheirão de peixe…. o shoyo é bem mais suave do que o que conhecemos no Brasil. Comi um sushi de peixe bonito com cebola que era muuuuito bom. E achei fantástico, que na mesa tinha chá verde em pó e água quente para pegar diretamente numa torneirinha da nossa mesa, e de forma gratuita. Só tivemos auxilio de uma garçonete na hora de fechar a conta. Cada porção vinha num pratinho diferente, que tem valor diferente. Então a gente empilhava os pratos e a moça contava as cores com os valores correspondentes para fechar a conta. Tudo muito fácil e barato.

Durante nosso viagem a Gotenba (para entender nosso roteiro, chegamos em Hamamatsu – depois Gotenba – depois Tóquio – e de volta a Hamamtsu), fomos numa espécie de cafeteria, e acho que nesse dia enfrentamos a maior dificuldade de comunicação rs… Só sabíamos falar em inglês e as atendentes  sabiam apenas poucas palavras e com uma pronuncia muito difícil de entender. Enfim, vieram 3 atendentes tentando entender o que queríamos, foi engraçado. No final das contas apontamos o que a gente pensava ser interessante, mas sem a minima ideia do que era… rs Veja a foto para ter uma idéia da facilidade em pedir kkk:

cardapioEsse ultimo da foto foi difícil, porque aparentemente tinham umas 5-6 opções de acompanhamento da bolachinha …. dá-lhe google tradutor para te uma ideia do que eram… pedimos feijão doce, queijo (eu acho rs), chantili e sal. Era acompanhado por essas bolachinhas e pelo que entendemos era pra colocar esses ingredientes todos juntos na bolachinha e colocar tudo de uma vez na boca… Nota: o sal foi essencial na harmonização dos ingredientes! Ahá!

cafe em cafeteria1A outra opção era com frutas, feijão doce (ANKO), sorvete e algo que eu penso que são quadradinhos de ágar (gelatina sem sabor e mais consistente). Ah, e tem duas bolinhas ali, brancas, que é um bolinho de arroz doce, tipo pastoso.

cafe em cafeteria 2Em  Toquio, estavamos meio perdidos em que restaurante almoçar e jantar… haviam muitas opções, restaurantes bem pequenos, geralmente cheios e com assentos individuais… tipo uma mesa unica em volta dos cozinheiros. Jantamos sushis num restaurante perto do apartamento que ficamos e na noite seguinte decidimos ir no Hooters (pensa na alegria do marido rs).

Fomos conhecer o maior mercado mundial de peixes. Não pudemos entrar no período que  acontece o leilão de peixes. Só entramos depois das 10:00, quando eles já estavam começando a guardar tudo. Achei essa visita fantástica. Um local enorme, parecia sem fim. Bem apertadinho, com peixes e outros frutos do mar super frescos. Infelizmente não consegui registrar muito pois as fotos no local eram proibidas. Engraçado que estávamos num mercado de peixe e o cheiro era super tranquilo. Nada comparado com as peixarias aqui no Brasil… Observei bem como eles trabalhavam, e toda hora estavam lavando com água corrente as superfícies, que inacreditavelmente eram de madeira,  e os peixes sempre colocados em gelo limpo e abundante. Tudo fresquíssimo. LINDO. Não consegui entender como isso tudo é consumido diariamente! Se você vai para Tóquio, não perca de visitar esse lugar.mercado de peixes

Nesse dia experimentei uma iguaria servida numa barraquinha, tipo dos nossos mercados municipais. Tinha muita gente em volta da barraca, estavam servindo frutos do mar numa concha, que o senhor colocava  em cima de uma grelha, em seguida colocava os frutos do mar, água e shoyo, deixava esquentar e depois servia para as pessoas. É claro que eu precisava experimentar. Observei que no final da preparação do prato, o senhor colocava algo em cima com muito cuidado… era meio marrom, parecia delicado. Enfim… na hora de comer esse negócio marrom, quase tivemos um troço kkk gente, ruim demais. Nunca mais eu como aquilo…. Vamos lá, tem gente que gosta tá, mas eu e o Diego não gostamos… descobri depois que era ouriço. Os demais frutos do mar da concha eram bons… mas da próxima vez eu agradeço e passo reto rs

frutos do mar

 

 

 

 

 

 

 

Voltando de Tóquio para Hamamtsu, ficamos em outro hotel. Próximo a estação central de ônibus e trens. Adorei a localização, pois enquanto o marido realizava um workshop na Uniexcellence, fui passear sozinha ;). Fui parar num tipo de mercado de comidas prontas, embaladas para o pessoal comer ou levar. Gente, que paraíso! Quanta coisa linda, de encher os olhos… os doces japoneses, que achei bem menos doces do que estamos acostumados aqui são PERFEITOS (não admitem o que não é perfeito), quadradinhos, brilhantes (acho que se um japonês comer um brigadeiro, quase morre de tanto açúcar rsrs). É lindo…

panificadoras

 

 

doce japonesAlém dos doces, também tinha a parte dos sushis, peixes e etc… tudo super limpo, perfeitamente posicionado….

comida comida1 peixe polvosPor último, gostaria de mostrar para vocês algumas fotos de uma almoço super especial que tivemos com a Sandra Mi e outros amigos num restaurante muito sofisticado. Adorei essa experiencia!!

Entrada do almoço, terrine com frutos do mar
Entrada do almoço, terrine com frutos do mar
almoco1
acho que preciso de ajuda para legendar essa foto ;)
Caixinha com arroz gohan no fundo, peixes, camarão e ovas de peixe!!! ;)
Caixinha com arroz gohan no fundo, peixes, camarão e ovas de peixe!!! ;)

Nossa sobremesa, uma linda homenagem para o nosso aniversário de casamento: 11 anos!!! S2

sobremesaAbaixo a foto com brasileiros empreendedores no Japão. Gente muito querida e que só temos a agradecer a hospitalidade e desejar muito sucesso!! Arigatou gozaimasu!!!

amigos E então, acho que era mais ou menos isso. rsrs O post mais interminável deste blog! rs

Ah, ultima, prometo! Uma exclusividade japonesa, que tive de comprar no aeroporto:

Kit kat de chá verde!!!
Kit kat de chá verde!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Bom, resumindo, o Japão, a sua cultura e culinária são incríveis. Um lugar que eu super recomendo para conhecer!!!!

Sandra Mi e Aline!!! Arigatou gozaimasu
Sandra Mi e Aline!!! Arigatou gozaimasu

Um abraço,

Nutricionista Karen Dykstra Carmona