Fome Oculta

Fome oculta = Fique atento!!!

Infelizmente ainda temos um problema grave em nosso país de desnutrição, em especial nas classes socioeconômicas menos favorecidas, mas aqui quero ressaltar a Síndrome da Fome Oculta, a qual pode atingir todas as classes sociais.

Fome Oculta – “é uma desnutrição decorrente da adoção de hábitos alimentares errôneos e inadequados, resultando em um desequilíbrio ou desajuste alimentar”.

Comer é uma necessidade básica, instintiva, vital, além de um prazer!!… Desde que você escolha o alimento e não o alimento escolha você… Quando um alimento nos escolhe, cuidado, será que você esta sofrendo dessa síndrome?

 fomeoculta Na correria do dia-a-dia acabamos deixando de lado a alimentação saudável, optando por refeições rápidas e fora de casa, ricas em gorduras saturadas, glutamato de sódio e pobre em fibras, vitaminas e minerais. Nosso organismo necessita de substâncias contidas nos alimentos como está representada na figura acima, que são indispensáveis ao crescimento, e desenvolvimento e ao perfeito funcionamento do organismo.

 Outro agravo são as dietas sem prescrições individuais….para correr atrás de um corpo perfeito, pessoas são capazes de abolir alimentos saudáveis por medo, acreditem….medo de engordar!! Também temos crianças, adolescentes e adultos que parecem bem “alimentadas”, mas será que estão bem nutridos?

O problema é que a maioria das deficiências nutricionais é silenciosa. O indivíduo só começa a desconfiar, sobre a carência de algum nutriente quando os agravos já são visíveis como rugas, flacidez, pele sem vida, opaca, cabelo sem brilho e em queda livre, unhas quebradiças, sono, apetite fora de hora, mal funcionamento do intestino, fraqueza, cansaço, dentes fracos e baixa imunidade…..Como podemos mudar tudo isso? Mudando o hábito alimentar.

  – Quantas refeições você faz ao dia?

O ideal é se alimentar de 3 em 3 horas, sendo 3 refeições principais ( desjejum, almoço e jantar) e 2 lanches leves entre eles, mais um lanchinho leve à noite. Dessa forma você mantém o metabolismo ativo. Não pule refeições, pois isso vai fazer você comer muito mais na próxima refeição. Quanto mais colorida e variada a nossa alimentação mais vitaminas e minerais estaremos ingerindo.

 balanca

 

Vale ressaltar que cada pessoa tem sua individualidade química, procure um nutricionista pois, “Alimentos que para um são remédios, para outros amargos venenos” Lucrécius.

Autora: Iolande Aardoom

Referências

HACK. J.A.S. Atividades interativas e de pesquisa para abordagem do tema: alimentação e fome oculta. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2012/2012_unicentro_cien_artigo_joseila_aparecida_sipp_hack.pdf>.

BITTENCURT. P. Nutrição funcional. Disponível em:  <http://www.nutricaoemfoco.com.br/NetManager/documentos/nutricaofuncionalteoriaepratica.pdf>.

Todo mundo já pra mesa!

familia comendo
Imagem do site: thamaracancilieri.blogspot.com
Imagem do site: thamaracancilieri.blogspot.com

O post de hoje é alerta para aquelas famílias (a minha inclusive) que permite muitas vezes que a televisão, ipad, iphone (entre outras distrações) sejam os convidados principais da nossa mesa.

Tenho refletido bastante sobre isso, e também na comodidade de ter nossos pequenos fascinados olhando para as telinhas enquanto enfiamo-lhes  a comida goela abaixo… É mais fácil assim, sem resistências, enfim silêncio à mesa. Mas como isso irá influenciar suas vidas?  Já falamos um pouco sobre isso no post “Mastigue e… emagreça?”, mas eu gostaria de reforçar a importância de construir um hábito de alimentação correto, para ser levado para toda a vida. E ainda sair lucrando: estreitando os laços familiares!!

Imagem do site: www.superfluous.com.br
Imagem do site: www.superfluous.com.br

A falta de atenção no que se come, e em quanto se come influencia diretamente no nosso peso e das nossas crianças. Observem na rua, como os brasileiros há algum tempo estão mais fofinhos… (e não entenda o fofinhos como um elogio!).  Também não quero, de forma alguma, fazer apologia aos anoréxicos de plantão.  Minha intenção é quebrar o ciclo. Comer demais porque o cérebro está distraído com tanto estímulo que não seja o cheiro e gosto da comida… Saboreie a comida e curta a companhia!

familia comendo

É importante também considerar o “comportamento espelho”- toda criança imita aqueles em que confia e que admira. Por isso a importância de dar o exemplo: tanto nas escolhas dos alimentos quanto a sua postura na mesa. Não espere que a criança fique tranquila comendo brócolis enquanto você checa seu email ou as curtidas do facebook comendo batata frita…

Achei inspirador e cito aqui um parágrafo escrito por uma colega de profissão Claudia Lobo: “somos aquilo que está em nosso sangue, e o que está em nosso sangue é o que comemos. Pense em tudo que uma boa alimentação e uma nutrição eficiente de todas as células de seu corpo podem lhe dar.  Pense numa pele perfeita, lisa, hidratada, firme e sem manchas, com brilho e elasticidade. Pense em cabelos saudáveis, sedosos e reluzentes.  Pense em unhas fortes e brilhantes, em olhos vivos e radiantes, sorriso limpo e cintilante. Pense em todas aquelas “ites”- sinusite, bronquite, gastrite, faringite, rinite etc. – como coisas do passado. Pense na possibilidade de ter mais disposição, vitalidade, bom humor e alegria. Pense em sono tranquilo, beleza, aparência mais jovem, ter a balança como amiga. Pense em saúde e longevidade. Pensou?”.

 

Que tal investir numa mudança de hábito alimentar para beneficiar você e sua família?

Aqui em casa essa mudança começa hoje! Rs

sem wifi

Autora: Karen Dykstra Carmona

 

 

Referencia:

LOBO, C. Comida de Criança: Ajude seu filho a se alimentar bem sempre. São Paulo: MG Editores, 2010.

Com vocês… a Tapioca!

tapioca ioio

Que tal começar o dia com uma opção extra para o café da manhã? A tapioca vem ganhando cada vez mais espaço, ela tem sido a opção de muitas pessoas celíacas ou que querem perder peso, substituindo o pão branco.

tapioca

É um alimento neutro, sem cheiro, sabor ou acidez, de fácil digestão, tem poucas calorias, não contém sódio, gordura e não possui a gliadina, uma proteína presente no glúten que colabora para o aumento da inflamação do organismo, e aumento da gordura abdominal. Como a tapioca é constituída por um carboidrato simples, ou seja, não contém fibras, ela é um alimento de alto valor glicêmico, portanto de rápida absorção. Para deixa-la mais nutritiva é interessante adicionar na massa chia, linhaça, amaranto, quinoa, fibra da banana verde, etc, tornando-o um alimento de baixo índice glicêmico, levando a uma absorção mais lenta, podendo ser consumido também pelos diabéticos.

 

Valor nutricional da tapioca: 50 gramas da massa têm 70 calorias, contra um pão francês de 50 gr tem 135.

 

Modo de preparo:              

panela

Massa já hidratada:

 

Em uma frigideira anti-aderente, espalhe a farinha e modele a tapioca como uma panqueca no fundo da frigideira.  O segredo é deixar a frigideira ficar bem quente antes de colocar a massa.

 

O ponto é bastante rápido, assim que desgrudar o fundo da frigideira, vire-a por alguns segundos e estará pronta. Basicamente a massa tem que secar na frigideira, não fritar.

Não deixe escurecer nem endurecer, e agora só rechear…

 

Outra dica: Tapioca colorida (essa é interessante para as crianças)

Imagem do site: nacasadama.blogspot.com
Imagem do site: nacasadama.blogspot.com

Hidratar a massa em casa, com sucos naturais por ex: suco de couve, beterraba, cenoura…

Para cada Medida:

Para cada xícara de polvilho, 1/2 xicara de suco

Adicionar o suco aos poucos no polvilho e misturar. Ele forma umas bolinhas (pelotinhas). Misture bem tente “destruir” essas bolinhas. Depois é só peneirar o polvilho, e esta pronta para uso. Pode congelar a massa e usar a quantidade necessária.

 

Mas….cuidado com os recheios!!!

Os melhores recheios são: frutas, queijos brancos, queijo cottage, ricota, requeijão, atum presunto magro, carnes magras (peru, frango desfiado, camarão), vegetais como brócolis com requeijão, ovo adicionada na massa. Aqui vale a criatividade, pode ser consumida também na hora do jantar em forma de pizza, uma opção seria com molho de tomate, queijo branco, tomate cereja e manjericão. Mas sempre vale lembrar que deve ser consumido com moderação.

Untitled

 

Curiosidade!!

A tapioca também conhecida como beiju é uma iguaria, típica das regiões Norte e Nordeste do Brasil, É um alimento feito com a fécula extraída da mandioca, que dá origem ao polvilho doce (goma de mandioca). A massa pronta pode ser encontrada em qualquer supermercado.

 

Autora: Iolande Aardoom

Resultado da Enquete “Qual tipo de arroz engorda menos?”

Imagem do site: www.clicmercado.com.br
Imagem do site: www.clicmercado.com.br

 

Vamos então ao resultado da enquete: total de 25 votos.

Quantidade de Votos Tipo de arroz
11  votos ou 44% Arroz integral
9 votos ou 36% Arroz branco
5 votos ou 20% Arroz parboilizado

 

Para a resposta da  Enquete do Arroz, estou me baseando no índice glicêmico dos 3 tipos mencionados na enquete: Branco, Integral e Parboilizado. Vamos considerar que,  quanto menor o índice glicêmico – menos engordamos… Observem a tabela com os valores de índice glicêmico de cada arroz:

Índice glicêmico (adaptado) de acordo com a FAO/WHO, 1998:

Tipo de arroz Indice Glicêmico
Arroz branco 81  (pode ter + ou – 3)
Arroz parboilizado 68 (pode ter + ou – 4)
Arroz integral 79

 

          Então, nosso campeão:  Arroz parboilizado!!  o//

     Isso mesmo… contrariando a maioria dos votos, o parboilizado quem sabe se torne o queridinho de nossas mesas!!

        A maioria dos votos foi para o arroz integral. Acho que até uma resposta um pouco óbvia para muitos. Também achei controverso os dados da tabela acima, uma vez que a quantidade de fibras deveria ser um fator determinante para a diminuição do índice glicêmico… Enfim, vou discorrer um pouco sobre a literatura que encontrei a sobre o possível motivo do índice glicêmico do arroz parboilizado ser menor do que do arroz integral.

 

Sobre o arroz parboilizado

Imagem do site: espacodanutricao.wordpress.com
Imagem do site: espacodanutricao.wordpress.com

          A palavra parbolizado teve origem a partir da adaptação do termo inglês “parboiled” que por sua vez se refere a  “partial boiled”- parcialmente fervido.

       A parboilização fixa a concentração de vitaminas e sais minerais nos grãos e modifica os grânulos de amido no seu interior, tornando-o mais resistente a digestão, diminuindo assim, seu índice glicêmico.

        Além disso, esse tipo de arroz permite menor quantidade de óleo durante o preparo para ficar “soltinho”.

 

Sobre o arroz branco (ou polido):

Imagem do site: www.showdereceitas.com
Imagem do site: www.showdereceitas.com

          É o que tem maior aceitação, por ter sabor mais neutro e permitir melhor combinação com outros alimentos. Esse tipo de arroz é um alimento altamente digerível, e portanto, com alto índice glicêmico (é o tipo que mais engorda).

         O processo de polimento ocasiona perda de parte das vitaminas, minerais e fibras dietéticas, ou seja, torna o arroz pobre em micronutrientes.

 

Sobre o Arroz Integral

Imagem do site: entretenimento.r7.com
Imagem do site: entretenimento.r7.com

          O arroz integral é mais nutritivo em relação ao polido, pois não sofre polimento e perda de micronutrientes. É também mais saudável do que o arroz parboilizado, uma vez que contem maior quantidade de fibras. Para uma adulto, a recomendação de fibras é de 25 – 30g por dia…. Consumir o arroz integral poderia ajudar a  alcançar a cota diária (além das frutas e verduras – claro!).

       A aceitação deste arroz é menor, devido ao seu sabor diferenciado e reduzida vida de prateleira.

         Há porém uma versão de arroz PARBOILIZADO INTEGRAL que não foi adicionado a esta enquete,  e que achei interessante comentar.  Por ser integral (tem-se os benefícios de manter as fibras) e por ser PARBOILIZADO (diminui o índice glicêmico)… ou seja, essa seria a melhor opção de arroz para consumir diariamente – tipo 2 em 1! rs

       Quero salientar que: existem cada vez mais evidencias de que a grande variação nas respostas glicêmicas resultantes do consumo de arroz ocorrem, em parte, devido as variações nas propriedades fisio-quimicas das cultivares, mas também podem estar relacionadas ao tipo de processamento ao qual os grãos são submetidos (parboilizado, polido ou integral)”. (PASCUAL, 2010).

 

Segue abaixo os valores calóricos dos tipos de arroz que mais comumente consumimos.

Valores calóricos de cada tipo de arroz em 25g de arroz cru:

Arroz branco – 91,24 Kcal

Arroz parboilizado  – 87Kcal

Arroz integral – 92,5 Kcal

* Arroz parboilizado integral  – 83,5 Kcal

 

Eu já comprei meu arroz parboilizado integral, e você – partiu?

 

Autora: Karen Dykstra Carmona

 

Referencias:

– PASCUAL, C. S. C.I. Efeitos da parboilização do arroz (Oryza sativa L.) integral sobre os compostos bioativos e a disponibilidade do amido. São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9131/tde…/CristinaPascual.pdf . Acesso em: 16 de julho de 2014.

– CARUSO, L. MENEZES, E. W. Índice glicêmico dos alimentos. Disponível em: file:///C:/Users/Karen/Downloads/indice%20glicemico%20artigo.pdf. Acesso em: 16 de julho de 2014.

LATA ABERTA PERTENCE AO LIXO!

milho

Nunca conserve latas abertas na geladeira! Caso não utilize todo o alimento,  coloque-o em um recipiente plástico ( BPA – Free, veja o post sobre esse assunto no nosso blog) ou de vidro, e identificar o alimento quanto a data de validade. O alimento em uma lata fechada foi processado ou pasteurizado especialmente para armazenamento dentro da lata, e projetado para permitir a conservação do alimento sem a necessidade de refrigeração.

Já vi muitas pessoas com esse péssimo hábito de deixar a lata de leite condensado na geladeira para ir comendo aos poucos. Pare e repense: quando se abre uma lata, o verniz interno se rompe e ela pode passar metais tóxicos para o alimento e provocar uma intoxicação. Nunca leve a lata diretamente a boca.

 

ATENÇÃO:

Imagem do site: sossolteiros.virgula.uol.com.br
Imagem do site: sossolteiros.virgula.uol.com.br
  •  Não compre alimentos com lata amassada, estufada ou enferrujada, pois pode haver possibilidade de destacamento do verniz e consequente contaminação do produto, por migração de metais da lata para o alimento e/ou contaminação microbiológicos, através de micro furos formados.
  • Latas podem sofrer contaminação nos supermercados e oxidar, por isso, coloque os enlatados em potes.
  • Lave a lata antes de abrir com esponja e detergente.
  • Molho de tomate é muito perecível e deve ser consumido de uma só vez ou congelar;
  • Verifique e respeite a data de validade do produto.
  • A regra vale para todo tipo de conservas, e até mesmo para a ração do seu cão ou gato;

 

Autora: Iolande Aardoom

Enquete do arroz – Qual tipo engorda menos?

Após ter escrito o post do Índice Glicêmico, percebemos alguns equívocos em relação aos valores de indice glicemico e os tipos de alimentos que consideramos mais saudáveis – hã? Então, antes de discorrer mais sobre o assunto, convido vocês a participarem da nossa enquete… Em breve postaremos o resultado!! Obrigada!

Desktop1

 

 

BOLO MULATINHO PARA CELÍACOS

Na época de faculdade uma colega desenvolveu essa receita. Bolo de chocolate sem glúten que leva feijão preto na receita. Além de ser nutritiva ela é interessante pra quem não gosta de feijão, sendo que não deixa o sabor residual.

 O feijão é uma boa fonte de proteína, ferro, fósforo, potássio e cálcio. As fibras do feijão ajudam a controlar o colesterol, a glicose e no funcionamento do intestino. O ferro transporta o oxigênio pelo corpo evita a anemia e a proteína auxilia na formação de músculos, pele, unhas e cabelo.

 

Imagem do site: arcadosabor.wordpress.com
Imagem do site: arcadosabor.wordpress.com

BOLO MULATINHO PARA CELÍACOS (1 FÔRMA RETANGULAR M)

Ingredientes

4 ovos

50g de cacau em pó

20g de farinha de arroz (arrozina)

15g de emustab

425g açúcar

70g de fécula de batata

70g de fécula de mandioca (araruta)

125ml de óleo vegetal (girassol)

165g de farinha de soja

10g de fermento químico em pó

155g de feijão preto cozido (cozinhar sem tempero)

50ml de água

Calda

20g de cacau em pó

10g de açúcar

125ml de leite

Cobertura

395g de leite condensado

40g de cacau em pó

20g de margarina sem sal

 

MODO DE PREPARO

Bater as claras em neve. Bater as gemas com cacau em pó e o açúcar adicione aos poucos a água, aos poucos vá misturando os demais ingredientes. Depois da massa batida misture metade da clara em neve e mexa devagar, adicione o restante das claras em neve e asse em fogo alto uns 20min, e abaixar o fogo para terminar de assar, por +/- 20 minutos. Molhe o bolo com a calda e cubra com a cobertura.

Receita elaborada pela Nutricionista: Rosane Petter

 

Autora: Iolande Aardoom

Por que é importante saber o que é Índice Glicêmico??

No post “Quem tem diabetes pode comer frutas?”  a nutricionista Iolande Aardoom explicou que as frutas podem ser consumidas, porém com moderação, uma vez que contêm açúcares. Mas por quê algumas frutas podem ser mais consumidas do que outras? Neste post, eu gostaria de falar um pouco sobre o índice glicêmico dos alimentos, o que deve ser observado pelos diabéticos e também pelas pessoas que tem interesse em emagrecer.

Mas o que é índice glicêmico?

Imagem do site: dietaemagrece.com.br
Imagem do site: dietaemagrece.com.br

Seu organismo precisa de muita energia para dar conta do estresse e das exigências da vida moderna. O combustível preferido dele é um açúcar chamado glicose, que é composto de amidos e açúcares (carboidratos) encontrados nos alimentos.

Sempre que ingerimos carboidratos, estes entram na corrente sanguínea com diferentes velocidades. Com base nesse fato, é possível classificá-los: quanto mais rápido o seu ingresso, maior será a libertação de insulina pelo pâncreas, pois o corpo tenta equilibrar os níveis de açúcar.

A escala, indicada em percentagens, baseia-se na ingestão do pão branco como comida padrão, assumindo-se IG igual a 100. Há também quem tome a glicose como valor de referência (100) por ser a substância com IG mais elevado.

Alimentos que afetam pouco a resposta de insulina no sangue são considerados de baixo valor glicêmico, e os que afetam muito, de alto valor glicêmico.

A insulina é um hormônio que tem o poder de transportar o açúcar para dentro das células dos músculos, onde, no fígado, se deposita na forma de glicogênio; estes depósitos, entretanto, têm uma capacidade limitada, o que faz com que todo o excesso de glicose no sangue seja armazenado sob a forma de GORDURA. Caso o indivíduo continue ingerindo alimentos de alto IG, o seu organismo começa a adquirir resistência à insulina, uma vez que o seu corpo começa a produzir uma quantidade maior de insulina.

Ao optar pela ingestão de alimentos com baixo índice glicêmico (que provocam aumento discreto da glicemia), é possível prevenir que seu organismo entre em pânico. Isso trará efeitos positivos para as condições e funcionamento do corpo todo, desde o coração até a pele, e ajudará a EMAGRECER.

http://revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/explore-modo-como-acucar-processado-organismo-432135.shtml
http://revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/explore-modo-como-acucar-processado-organismo-432135.shtml

Algumas regrinhas que ajuda a entender se um alimento tem baixo ou alto valor glicêmico:

  • Quanto mais rico em fibras, mais baixo o índice glicêmico, uma vez que lentifica a digestão.
  • Tudo o que leva farinha de trigo (pão branco, bolos, bolachas recheadas, empadão, macarrão) possui índice glicêmico alto, e por isso, deve ser consumido com muita moderação, especialmente no período da noite.
  • As carnes por não terem carboidrato, tem índice glicêmico baixo, mas não devem ser consumidas em excesso pois possuem gordura saturada.
  • Assim como as carnes, os lipídeos como margarinas, manteigas, azeites também possuem índice glicêmico baixo, mas contribuem para o aumento da gordura corporal e a gordura também se transforma em glicose após 4 horas.

Para evitar controvérsias, existem também tabelas de índice glicêmico que auxiliam a escolha dos alimentos com menor índice glicêmico:

 

Classificação:

• IG menor ou igual a 55: baixo

• IG maior que 56 e menor que 70: moderado

• IG maior que 71: alto

Alimento IG Alimento  IG
Amendoim 21 Pipoca 79
Feijão de soja 23 Arroz integral 79
Iogurte sem sacarose 27 Manga 80
Frutose 32 Muesli 80
Lentilhas 38 Arroz branco 81
Leite integral 39 Banana 83
Damasco seco 44 Sopa de feijão 84
Feijão manteiga 44 Sorvete 84
Leite desnatado 46 Chocolate 84
Iogurte com sacarose 48 Mingau de aveia 87
Maçã 52 Bolos 87
Pêra 54 Sacarose 87
Sopa de tomate 54 Biscoitos 90
Suco de maçã 58 Cuscus 93
Espaguete 59 Milho 98
All Bran 60 Crackers 99
Laranja 62 Farinha de trigo 99
Lactose 65 Pão branco 100
Pêssego enlatado 67 Trigo cozido 105
Ervilhas 68 Mel 104
Arroz parboilizado 68 Batata frita 107
Feijão cozido 69 Tapioca 115
Inhame 73 Corn Flakes 119
Suco de laranja 74 Batata cozida 121
Kiwi 75 Glicose 138
Batata doce 77
Aveia 78

 

Se deseja saber mais sobre o índice glicêmico e como ele afeta diretamente na sua dieta, consulte uma nutricionista!

Autoras: Iolande Aardoom e Karen Dykstra Carmona

Referências:

1 – Tabela de Indice Glicemico. Disponível em: <http://nutricao.diabetes.org.br/images/pdf/215_Tabela_IG.pdf>.

BLAIR, L. Dieta do baixo índice glicêmico. Receitas: O livro de culinária perfeito para você emagrecer. São Paulo: Publifolha, 2008

Papa de Carne, Abóbora e Chuchu

 Segue receita para bebês a partir de 6 meses:

Ingredientes

½ chuchu pequeno – 120g

8 colheres de sopa de abóbora ralada – 64g

1 colher de sopa de cebola ralada

2 colheres de chá de salsinha picada – 2g

2 colheres de chá de óleo vegetal – 4g

4 colheres de sopa de carne moída – 60g

1 pitada pequena de sal – 0,5g

4 colheres de sopa de macarrão picado – 24g

 

Modo de fazer:

  1. Prepare os legumes (lave, descasque e lave) picando-os em pedaços pequenos.
  2. Doure a cebola numa panela com o óleo. Juntar a carne e refogar por aproximadamente  2 minutos. Adicionar o chuchu, a abóbora, o sal e 1 ½ xícara (chá) de água. Deixe cozinhar até os legumes ficarem macios.
  3. Acrescentar o macarrão e a salsinha. Deixar cozinhar até o macarrão ficar macio. Retirar do fogo.  Amasse com um garfo metade da preparação, e sirva a criança.

 

Nhoque de Abobrinha

quatro-abobrinhas

Hoje testei esta receita e foi aprovada pela família!!! Mas parece que preciso um pouco mais de prática para impressionar esteticamente!! rs

Se a criançada não aceita muito a abobrinha, está aí uma sugestão que pode fazê-los mudar de idéia!!

Bom, para fazer o nhoque de abobrinhas:

115g de batatas em fatias

175g de abobrinha fatiada

1 clara de ovo

5 colheres de sopa de farinha de trigo

1 pitada de noz moscada

25g de manteiga

4-5 colheres de sopa de queijo ralado para servir

Modo de preparo:

Cozinhe as batatas e abobrinha no vapor por aproximadamente 10-15 minutos.

securedownload-1

Ferva uma caçarola de água. Passe as batatas e a abobrinha pelo espremedor, sobre uma tigela.

securedownload-2

 

Junte a clara, a farinha e a noz-moscada, formando uma massa úmida. Se estiver mole demais,  acrescente mais farinha. Coloque 8 colheradas espaçadas cheias de massa direto na panela de água fervente. Cozinhe por 1-2 minutos, até os nhoques subirem a superfície. Retire-os com uma escumadeira e coloque numa travessa. Repita a operação com o restante da massa. Derreta a manteiga numa frigideira e junte os nhoques. Misture para recobrir bem e aquecer os nhoques. Coloque-os novamente na travessa. Antes de servir, polvilhe com queijo ralado.

foto-1

Rendimento: 4-6 porções.

Autora: Karen Dykstra Carmona