Wasabi? #SQN

Participei em 2014 de um Congresso Online de Nutrição Funcional, e revendo minhas anotações me deparei com algo que anotei: “No Japão o wasabi e o gengibre são utilizados para diminuir os problemas de intoxicação alimentar”. Pronto! Decidi que gostaria de escrever sobre isso no blog!

Depois de pesquisar um pouco, percebi que a pasta verde que consumimos no Brasil nos restaurantes japoneses não é o wasabi original! O que consumimos aqui, nos EUA e na maior parte da Europa é uma mistura de raiz-forte + lactose + óleo de milho + açafrão + aromatizante e corante. A composição dos ingredientes varia de acordo com o fabricante… por exemplo, o wasabi da marca KENKO (Sakura):

wasabi-kenko-43gINGREDIENTES: Raiz forte e corantes artificiais: amarelo tartrazina e azul brilhante. Não contém glúten.

Ok… vejo aqui uma informação equivocada… É wasabi, SÓ QUE NÃO!

Nos Estados Unidos, ingredientes comuns no “wasabi” incluem raiz-forte, mostarda em pó, amido de milho e corantes artificiais.

NOTA: WASABI NÃO É A MESMA COISA QUE RAIZ-FORTE.X cópia 2O  wasabi, assim como a raiz forte, pertence a famÍlia das crucíferas. Mas como você pode observar acima, são plantas com cultivos completamente diferentes.

A planta de wasabi (Wasabia japonica ou Eutrema wasabi) é encontrada no Japão, onde cresce em córregos de água fria próximos a montanhas e sua raiz intacta não possui cheiro. Pode ser encontrado no noroeste do Pacífico dos EUA e Canadá.

Imagem do site: www.telegraph.co.uk
Imagem do site: www.telegraph.co.uk

O wasabi original tem sabor mais delicado, tem um leve tom esverdeado e maior complexidade de sabor. A raiz forte é mais picante e o cultivo é feito na terra.wasabi-grating

Para fazer o condimento em pasta, o rizoma wasabi (raiz/caule acima do solo) é moído ou ralado com um ralador muito fino, de preferência alguns minutos antes da utilização. O wasabi preparado pode ser guardado somente 2 dias na geladeira. Por ter a conservação tão delicada, é de difícil distribuição no mundo, e portanto, caríssimo, também pela dificuldade no cultivo da planta. Explicado por quê não conhecemos o wasabi original?

Existem no mercado alguns “wasabis” importados, mas nenhum deles 100% wasabi. Na imagem abaixo (desculpe a qualidade, rs) você pode ver alguns deles.

Imagem: http://www.haystack.mit.edu/hay/staff/jball/Wasabi.pdf
Imagem: http://www.haystack.mit.edu/hay/staff/jball/Wasabi.pdf

Da esquerda para a direita nesta imagem : (1) versão em pó contendo algum wasabi mas não sabor wasabi. Em seguida, quatro bisnagas : (2) mais wasabi do que raiz-forte ( mas a água primeiro ingrediente ) , (3) mais wasabi do que raiz-forte ( wasabi primeiro ingrediente ) , (4) em sua maioria é wasabi, e (5) na maior parte é wasabi. Então, caso queira provar algo mais próximo do wasabi, os últimos dois são os mais indicados! Leia bem o rótulo, o ingrediente que aparecer primeiro é o que está em maior quantidade!!! Boa sorte para encontrá-los! :o)

No próximo post coloco as diferenças nutricionais!!

Autora: Karen Dykstra Carmona

Referências:

What is wasabi? – Vegetable and Research and Extension. Disponível em: <http://agsyst.wsu.edu/wasabibroc.pdf>. Acesso em: 16 de agosto de 2015.

http://www.haystack.mit.edu/hay/staff/jball/Wasabi.pdf

Wasabi: o tempero notável. Disponível em: <http://www.personare.com.br/wasabi-o-tempero-notavel-m5473>. Acesso em: 16 de agosto de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *